Menu
O melhor do Seu Dinheiro
Victor Aguiar
2021-04-30T20:45:49-03:00
O melhor do Seu Dinheiro

A difícil escalada do Ibovespa rumo ao topo

O Ibovespa fechou o mês de abril em alta e se aproxima das máximas históricas. Mas, apesar dos ganhos, o índice tem mostrado alguma hesitação

30 de abril de 2021
20:45
Montanha escalada Ibovespa
Imagem: Shutterstock

Um dos livros que mais me impressionaram neste ano foi "No ar rarefeito", de Jon Krakauer. Não é exatamente um lançamento — ele foi publicado em 1996 —, mas eu só tomei conhecimento recentemente, por recomendação de uma amiga. Pois cá estou eu passando a indicação adiante: é daquelas leituras que prendem e deixam desnorteado.

A sinopse dá uma ideia do que está por vir — e não há spoiler aqui, já que estamos falando de uma história real. Em 1996, uma expedição ao topo do Everest termina em tragédia após uma tempestade encurralar o grupo de escaladores acima dos 8.500 metros de altitude — a chamada 'zona da morte'. 

Jon Krakauer, o autor do livro, foi um dos sobreviventes. E ele relata, com um nível impressionante de detalhes, as dificuldades para manter a sanidade num ambiente tão hostil. Em altitudes como essas, a mente se confunde e o corpo não obedece. E quem não possui treinamento rígido tende a tomar decisões ruins.

No caso do Everest, más escolhas podem custar a vida. Mas essa imagem, a da má avaliação de riscos numa área perigosa, pode ser estendida a outras situações dramáticas — e nada mais cheio de dramas que o mercado financeiro.

Veja o Ibovespa: estamos próximos do topo histórico, de 125 mil pontos. Mas, a cada vez que o índice parece focado numa escalada definitiva, há um momento de hesitação. E foi assim durante quase todo o mês de abril.

E não é para menos, dada a incerteza que ronda os mercados. Agitações em Brasília, desdobramentos da pandemia, sinalizações dúbias nos mercados externos — um ar rarefeito que dificulta a tomada de decisão. E, aqui, um ataque mal calculado ao topo pode ser fatal.

A Jasmine Olga acompanhou todos os pregões de abril e te conta mais sobre a escalada do Ibovespa; o índice até avançou um pouco, mas ainda não retornou às máximas.

Aliás, aproveito o gancho do fechamento do mês para fazer um convite a todos vocês: o Vinícius Pinheiro, a Julia Wiltgen e eu conversamos mais cedo sobre os melhores e piores investimentos em abril — você pode acompanhar o nosso papo aqui.

Empresas

Considerado o maior projeto de infraestrutura do país, o leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) finalmente foi concluído — e não faltou emoção. Após uma quase suspensão na véspera do evento e disputas acirradas de lances, confira quais empresas saíram vitoriosas do certame.

A pandemia afetou duramente alguns setores econômicos e empresas brasileiras. A Le Postiche, tradicional marca de malas e bolsas, foi mais uma vítima desse cenário: com uma bagagem cheia de dívidas, a companhia teve que partir para a recuperação judicial.

Confusão com o chefe? Tô fora! Em sua primeira alteração de preços desde a chegada do general Joaquim Silva e Luna ao comando, a Petrobras anunciou que vai baixar o valor da gasolina e do diesel nas refinarias em cerca de 2%.

Mercados

Fora alguns poucos pontos fora da curva, as últimas aberturas de capital têm sido desafiadoras para as empresas brasileiras. A Modalmais não fugiu ao padrão: o banco digital e plataforma de investimentos teve que aceitar um desconto no IPO e ainda amargou uma queda de 7% em sua estreia na B3.

A Infracommerce também tem sofrido para viabilizar sua abertura de capital. A empresa de soluções para o varejo já havia reduzido sua faixa indicativa de preços, mas teve que aceitar mais um corte e excluir a oferta secundária para seguir com a operação. Veja os novos valores.

Economia

O desemprego segue em alta no Brasil. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação chegou a 14,4%, o que representa 14,4 milhões de brasileiros sem trabalho no trimestre encerrado em fevereiro.

Parece que a ala política do governo não aprendeu nenhuma lição com a novela do Orçamento. O grupo se articula para recompor investimentos considerados vitrines eleitorais para o presidente Jair Bolsonaro e já recebeu um alerta de risco do Tesouro.

Os investidores ao redor do planeta fecharam os bolsos em 2020 e o fluxo global de recursos estrangeiros (IED) alcançou o menor nível em 15 anos. As boas notícias ficaram restritas à China, que ultrapassou os EUA como principal destino de capital gringo no mundo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies