Menu
2020-04-29T11:08:54-03:00
Estadão Conteúdo
quem fala o que quer

Celso de Mello abre inquérito contra Weintraub por racismo contra chineses

A investigação analisa a suposta prática de racismo em um tweet feito pelo perfil do ministro da Educação e posteriormente apagado.

29 de abril de 2020
10:55 - atualizado às 11:08
img20190515205239015MED
Convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, a fim de prestar esclarecimentos sobre os cortes orçamentários na pasta. - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou na noite desta terça-feira, 28, a abertura de inquérito contra o ministro da educação Abraham Weintraub para apurar suposta prática de racismo envolvendo publicação em que insinuou que a China vai sair "fortalecida da crise causada pelo coronavírus, apoiada por seus 'aliados no Brasil'". A decisão atende a um pedido feito pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros.

"Quem são os aliados no Brasil do plano infalível do Cebolinha (personagem criado por Maurício de Sousa) para dominar o mundo?", escreveu Weintraub na postagem que em seguida apagou. Na publicação, o ministro usa uma imagem dos personagens da Turma da Mônica ambientada na Muralha da China e, substituindo a letra "r" pela letra "l", faz referência ao modo de falar de Cebolinha, para insinuar que se trata dos chineses.

No pedido enviado ao Supremo, Medeiros afirmou que as peças de informação revelam que o "Ministro de Estado da Educação, Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub, teria veiculado e posteriormente apagado manifestação depreciativa, com a utilização de elementos alusivos à procedência do povo chinês, no perfil que mantém na rede social Twitter".

A PGR pediu diligências como a preservação e a posterior obtenção dos dados referentes ao acesso que possibilitaram a prática supostamente delituosa, abrangendo, entre outros itens, os registros ('logs') relacionados ao acesso do responsável pela postagem, bem como o e-mail usado por ocasião da criação do perfil @AbrahamWeint.

Na decisão desta terça, Celso de Mello determinou à PF que conclua as diligências em até 90 dias, em razão da pandemia do novo coronavírus. O ministro determinou ainda que Weintraub seja inquirido "independentemente de prévio ajuste quanto ao dia, hora e local para a realização de referido ato", prerrogativa conferida à vítimas e testemunhas.

O decano ainda afastou o sigilo dos autos. "Os estatutos do Poder, numa República fundada em bases democráticas, não podem privilegiar o mistério. A prática estatal, inclusive quando efetivada pelo Poder Judiciário, há de expressar-se em regime de plena visibilidade. Consequente afastamento, no caso, do segredo de justiça".

Repúdio

Após a manifestação de Weintraub, a Embaixada da China no Brasil repudiou sua publicação. "Deliberadamente elaboradas, tais declarações são completamente absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil", diz a nota divulgada no Twitter da Embaixada. O comunicado afirma ainda que "o lado chinês manifesta forte indignação e repúdio a esse tipo de atitude".

Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Novos tempos

Alvo de Bolsonaro, home office avança no setor público

Bolsonaro usou trabalho remoto para atacar presidente da Petrobras

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Acordo confirmado

Notre Dame Intermédica e Hapvida chegam a acordo para combinação de negócios

Ações da Notre Dame serão incorporadas pela Hapvida; acordo resultará em uma das maiores empresas de saúde do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies