Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-11-05T19:39:32-03:00
seu dinheiro na sua noite

O maior medo virou o maior aliado da bolsa

5 de novembro de 2020
19:38 - atualizado às 19:39
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Se você perguntasse a qualquer analista no começo do ano o maior risco para os mercados, a resposta provavelmente seria o resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos. O grande medo na ocasião era da vitória de um candidato democrata.

Mas eis que, numa reviravolta que não surpreende em nada quem atravessa esse tumultuado 2020, o principal temor se tornou o maior aliado dos investidores e da bolsa.

No momento em que eu escrevo esta newsletter, Joe Biden estava a apenas seis votos dos 270 necessários no Colégio Eleitoral para chegar à Casa Branca. E a reação do mercado é de enorme euforia.

Vale dizer que, desde o início do ano, o risco de uma vitória da oposição diminuiu sensivelmente com a escolha de Biden nas prévias do partido.

Mas a virada veio com a pandemia do coronavírus, quando os Democratas deixaram de ser apenas tolerados para serem os preferidos do mercado.

Em um eventual governo Biden, a expectativa é de aprovação de estímulos mais generosos à economia, o que favorece a bolsa e tende a enfraquecer o dólar.

É claro que tudo isso não passa de um cenário que pode ou não se confirmar, exatamente como aquele do início do ano. Por isso a velha máxima de diversificação da sua carteira de investimentos continua válida — e necessária.

Seja como for, o Ibovespa avançou quase sete mil pontos nos últimos três pregões e retomou o patamar dos 100 mil. Ao mesmo tempo, o dólar desceu pela banguela e fechou a quinta-feira em queda de quase 2%, para a casa dos R$ 5,54.

O nosso repórter Felipe Saturnino acompanhou o pregão e traz todos os impactos das eleições dos EUA nos mercados.

MERCADOS

 Como amplamente esperado, o Fed (BC dos Estados Unidos) manteve a taxa de juros em (quase) zero. O comunicado mostrou que a autoridade monetária segue bastante preocupada com os efeitos do coronavírus na maior economia do mundo.

 As ações da Ultrapar foram um dos destaques do pregão de hoje na B3. A dona dos postos Ipiranga apresentou um bom balanço e teve a recomendação para as ações elevada pelo Credit Suisse. Confira as projeções para a empresa.

 Um relatório do Morgan Stanley sobre o IRB Brasil que trouxe um preço-alvo para as ações muito acima das cotações atuais agitou os fóruns sobre investimentos em ações. Mas será que é o caso de se empolgar? Eu tive acesso ao relatório e trago algumas considerações.

 O Bitcoin ampliou ganhos recentes e rompeu hoje o nível de US$ 15 mil. Com isso, se aproxima um pouco mais da máxima histórica em dólares. Em reais, a criptomoeda já passou dos R$ 80 mil, novo recorde.

EMPRESAS

 Por mais um trimestre, o Banco do Brasil registrou a menor rentabilidade entre as grandes instituições financeiras de capital aberto. Mas o novo presidente do BB, André Brandão, espera mudar esse quadro. Ele falou sobre a estratégia para o banco.

 Camarão que dorme, a onda leva. E quem sabe muito bem disso é o homem mais rico do mundo. Jeff Bezos aproveitou a euforia recente dos mercados e vendeu US$ 3 bilhões em ações da Amazon.

COLUNISTAS 

 O que é melhor para o mercado, Trump ou Biden? A narrativa do mercado muitas vezes se adapta à realidade conforme os resultados aparecem, como mostra o nosso colunista Rodolfo Amstalden. Vale a pena a leitura!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

gestão segue independente

Holding do BTG Pactual compra consultoria de energia PSR

Um dos principais objetivos da parceria é propiciar a expansão da companhia no mercado global de energia

recursos contra a doença

Câmara aprova liberação de R$ 1,9 bilhão para compra de vacinas contra Covid-19

Dinheiro vai custear contrato entre a Fiocruz, vinculada ao Ministério da Saúde, e o laboratório AstraZeneca; recursos virão da emissão de títulos públicos

permissão especial

Anvisa divulga regras para autorização emergencial de vacina contra covid-19

Modo simplificado terá menos exigências do que os registros de outros medicamentos e tratamentos, mas a agência declarou que serão garantidos requisitos de segurança

seu dinheiro na sua noite

Uma previsão (conservadora) para a bolsa em 2021

Depois de tudo que passamos em 2020 (e o ano ainda não acabou), eu admiro a coragem de quem se arrisca a fazer previsões para o desempenho dos investimentos. As estimativas podem parecer mero chute — e às vezes são mesmo — mas no geral têm fundamento. Com algum trabalho, é possível calcular o fluxo […]

emissão de dívida em dólar

Tesouro capta US$ 2,5 bilhões no exterior com títulos de 5, 10 e 30 anos

Houve forte demanda pelos títulos de dívida externa, que superou a oferta em mais de 3 vezes, diz instituição; volume emitido com bônus de 10 anos foi o maior, de US$ 1,25 bi

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies