Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-06-29T20:26:50-03:00
seu dinheiro na sua noite

Essa história ainda vai render

29 de junho de 2020
20:26
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A briga entre os sócios e rivais XP e Itaú, que ganhou os holofotes na semana passada, parece ter dado uma acalmada. Mas essa história ainda deve dar o que falar por algum tempo.

Primeiro porque ela não interessa apenas aos investidores que detêm ações do Itaú e/ou da XP, mas a qualquer investidor pessoa física, na verdade. Afinal, o motivo do conflito que rendeu troca de farpas entre as duas instituições foi justamente o modelo de remuneração dos profissionais que atendem a esse público.

Segundo porque essa briga jogou luz sobre os eventuais conflitos de interesse na recomendação de investimentos por profissionais.

Quando investimento era assunto de nicho, essa discussão também era; mas agora que o brasileiro se vê obrigado a migrar para investimentos mais sofisticados, veremos esse debate cada vez mais presente nos meios convencionais.

E com o juro no chão, nós, como investidores, seremos também cada vez mais forçados a considerar como o assessor de investimentos ganha dinheiro antes de escolher um serviço.

Para Felipe Miranda, colunista do Seu Dinheiro, esse debate deverá fazer o modelo de remuneração desses profissionais evoluir para um formato sem conflito de interesses, e nesse sentido, a XP deveria estar aberta a mudanças no seu próprio modelo. Na sua coluna de hoje, o Felipe aponta alguns caminhos possíveis.

Já o Felipe Palleta analisou o “case” Itaú vs. XP do ponto de vista do investidor em ações para exemplificar o que seria uma tese “contrarian” de investimento - aquela aposta em algo “fora do radar” do mercado.

Hoje, a XP anunciou que dois de seus acionistas irão fazer uma nova oferta na bolsa americana Nasdaq. Mas como se poderia supor, o Itaú não está entre eles, apesar dos conflitos recentes.

Na verdade, embora o fundador da XP, Guilherme Benchimol, tenha recomendado que o bancão se desfizesse do investimento na corretora caso não estivesse satisfeito com o negócio, não está nos planos do Itaú se desfazer da sua posição, conforme apurou o Estadão.

Reta final do IR

Termina amanhã, às 23h59, o prazo para entregar a declaração de imposto de renda 2020. Caso você ainda não tenha prestado contas ao Leão, nós preparamos um guia para facilitar a sua vida. Trata-se de um eBook completo sobre como declarar o imposto de renda, com tudo que você precisa saber sobre o tema. Você pode baixá-lo gratuitamente aqui.

Ligado no respirador do Fed

Apesar dos dados sobre o avanço do coronavírus no mundo no fim de semana, a segunda-feira foi bastante positiva para os mercados, que continuam respirando graças a um “aparelho” chamado Federal Reserve. O anúncio de que o banco central americano irá comprar mais títulos de dívida corporativa no mercado primário manteve os investidores animados. Por aqui, o Ibovespa subiu mais de 2% e o dólar recuou para perto de R$ 5,40. O Victor Aguiar acompanhou o pregão e traz todos os detalhes nesta matéria.

Na briga pela Oi

A operadora mineira Algar e o fundo soberano de Cingapura GIC entraram na briga pela parte de telefonia móvel da Oi, segundo o jornal “O Globo”. A venda da Oi móvel é considerada de grande importância no plano para reerguer a companhia, hoje em recuperação judicial. A notícia fez a ação da tele subir forte, fechando em alta de mais de 5%. Entenda o interesse da Algar, que tem o GIC entre seus sócios, na Oi.

Os rastros do coronavírus

A pandemia de coronavírus vem deixando um rastro de destruição na economia brasileira. Desde o registro do primeiro caso da doença, em março, até o final de maio, foram fechados 1,487 milhão de postos de trabalho, de acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Um dos setores que mais fecharam vagas foi a indústria, cuja situação não está nada boa. Segundo o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, 60% do setor está trabalhando com ociosidade da sua capacidade instalada.

Um trilhão na economia

Diante de tal situação, os bancos foram acionados para conceder crédito e renegociar dívidas, o que já resultou em mais de R$ 1 trilhão em empréstimos desde o início da crise, diz a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). A despeito das críticas ao setor bancário e apesar do aumento do risco de inadimplência, os dados oficiais mostram que houve redução das taxas de juros e spreads (diferença entre quanto o banco paga para captar e cobra para emprestar).

Estamos em recessão

Mas apesar de todos os esforços, os números indicam que o país está novamente em recessão. Esta é a avaliação do Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que concluiu que o ciclo de negócios brasileiro atingiu um pico de expansão no quarto trimestre de 2019. No primeiro trimestre deste ano, o PIB brasileiro encolheu 1,5%, segundo o IBGE. Entenda as justificativas do Comitê.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Mais uma na área

FDA autoriza uso emergencial de vacina de dose única nos EUA

Imunizante é produzido pela Johnson & Johnson

Contra a pandemia

Matéria-prima para produção de 12 milhões de doses de vacina chega ao Rio

Total de efetivamente imunizados não chega a 1% da população brasileira

Acordo confirmado

Notre Dame Intermédica e Hapvida chegam a acordo para combinação de negócios

Ações da Notre Dame serão incorporadas pela Hapvida; acordo resultará em uma das maiores empresas de saúde do mundo

Sem trégua

Brasil passa de 254 mil mortes por covid-19

Número de casos da doença supera a marca de 10,5 milhões

Estrada do futuro

Em breve, você ganhará dinheiro investindo em uma Mona Lisa

Recebíveis de tecnologia, obras de arte, criptomoedas… o mundo dos investimentos está mudando numa velocidade avassaladora. E pela primeira vez na história os investidores individuais estão fazendo parte dessa mudança

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies