Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-02-12T20:34:07-03:00
SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Dólar a R$ 4,35, e desta vez a culpa é nossa

12 de fevereiro de 2020
20:33 - atualizado às 20:34
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A moeda americana atingiu, nesta quarta, uma nova máxima: nada menos do que R$ 4,35. Quem tem alguma coisa investida em dólar pode não ter se incomodado e até ter ficado feliz, mas quem está com viagem marcada ou querendo comprar umas bugigangas do exterior deve estar inquieto.

A escalada recente do dólar tem muitos motivos. As razões internas são aquilo que eu chamo de “problema bom de resolver”, porque têm a ver com o nosso juro baixo inédito. Já as externas fogem ao nosso controle, como é o caso do surto de coronavírus na China, que aumentou a aversão a risco no mundo, levando os investidores a se protegerem nas moedas fortes.

Só que a alta desta quarta-feira tem uma razão doméstica, e não é um problema bom, é um problema ruim mesmo. O IBGE divulgou hoje os números do varejo em dezembro e no acumulado de 2019. Apesar do resultado positivo no ano, os dados foram decepcionantes e ficaram abaixo das expectativas do mercado.

Resultado: o real andou na contramão das outras moedas do mundo. Apesar disso, na bolsa, o dia foi de otimismo, tanto aqui quanto lá fora, com uma alta de mais de 1% no Ibovespa. O Victor Aguiar acompanhou as negociações e traz os detalhes do pregão de hoje.

Bitcoin na mesa dos adultos

O bitcoin saltou mais de 7% em reais e 6,9% em dólares desde ontem de manhã. Uma fala do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, parece ter animado o mercado. Quando uma autoridade da envergadura do presidente do banco central americano dá importância às moedas digitais ou fala delas de maneira construtiva, a expectativa em torno da transformação desse mercado em “coisa de gente grande” aumenta. Saiba mais sobre a fala de Powell no Seu Dinheiro.

Touros contra ursos

A batalha entre investidores comprados e vendidos nas ações do IRB continua. Agora foi a vez do Itaú, um dos acionistas da resseguradora, sair em defesa da companhia. O presidente do banco, Candido Bracher, disse não ter “nenhum desconforto” com as demonstrações contábeis do IRB, questionadas pela gestora Squadra. Saiba mais sobre a fala do presidente do Itaú na matéria do Vinícius Pinheiro.

Tesouro na fintech 

A Pi Investimentos, fintech do Santander, começou a oferecer Tesouro Direto na sua plataforma. Pois é, a empresa ainda não tinha a opção de investimento em títulos públicos. O Felipe Saturnino conta os detalhes.

Atuação independente

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje que o governo irá enviar ao Congresso uma proposta própria para a criação do IVA (Imposto sobre Valor Agregado) dual nas próximas duas semanas. A novidade vai contra um acordo feito junto aos Estados para um projeto conjunto. Já no Parlamento, o relator deu um prazo otimista para votar a reforma tributária.

Já virou rotina

O governo Bolsonaro parece não passar uma semana sem promover uma dança das cadeiras na Esplanada dos Ministérios. O alvo dessa vez foi a Casa Civil: sai Onyx Lorenzoni, entra o general Walter Braga Neto. Saiba mais sobre o novo ministro e as polêmicas em torno de sua nomeação no Seu Dinheiro.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies