Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-07-24T19:50:50-03:00
seu dinheiro na sua noite

As cartas que vão definir o futuro da AES Tietê

24 de julho de 2020
19:50
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Certa vez o executivo de um banco me disse que as negociações de fusões e aquisições funcionam como uma espécie de jogo de pôquer. Nem sempre o vencedor é aquele que tem as melhores cartas.

O caso da AES Tietê é um exemplo de como funcionam as mesas desse pôquer corporativo. A empresa virou alvo de uma disputa ferrenha desde que a Eneva lançou uma oferta para incorporar a geradora de energia.

No papel, o negócio parece ótimo para ambas as empresas, que juntas formam uma companhia que vale mais de R$ 20 bilhões. A possibilidade de uma união inclusive ajudou a valorizar as ações na bolsa.

Só faltou combinar com o grupo norte-americano AES Corp, que detém a maior parte das ações com direito a voto da Tietê e não tem o menor interesse de abrir mão do controle da companhia.

Mas os americanos e a Eneva não estão sozinhos na mesa. Um dos maiores acionistas da AES Tietê é o BNDES, que anunciou a intenção de sair do jogo, ou seja, vender a sua participação para quem oferecer a melhor proposta.

Desde então o mercado passou a especular sobre a rodada que deve selar o destino do negócio. Depois de muito mistério, a Eneva mostrou ontem à noite as suas cartas.

Mas a nova oferta feita pela companhia frustrou o mercado, que agora vê a parada praticamente ganha para os americanos.

O possível resultado da partida fez as ações da AES Tietê despencarem na bolsa hoje. Eu conto para você por que o jogo virou contra a Eneva.

MERCADOS

 A tensão entre Estados Unidos e China e dados econômicos abaixo do esperado pesaram na bolsa. Mas o pacote de estímulos na União Europeia e o início das articulações para a reforma tributária por aqui ajudaram a aliviar o clima nos mercados ao longo da semana.

 Warren Buffett voltou às compras. A Berkshire Hathaway, holding do bilionário, adquiriu mais de US$ 800 milhões em ações do Bank of America só nesta semana, elevando a fatia no banco para cerca de 11,3%.

ECONOMIA

 O BC está vendo um fenômeno novo no câmbio. Segundo o diretor de Política Monetária, Bruno Serra, há uma volatilidade de curto prazo com o dólar que incomoda a autoridade, que vai ver o que pode fazer.

 Os governadores, quem diria, foram além do governo federal e defenderam uma reforma tributária mais abrangente. A proposta é que haja unificação de todos os impostos sobre o consumo.

EMPRESAS

 O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, renunciou ao cargo nesta sexta-feira e deve deixar o cargo em agosto. Ele justificou a saída por entender que o banco “precisa de renovação”.

 Foi uma reestreia para se esquecer. Após captarem dinheiro em ofertas na bolsa, os papéis das companhias Dimed e Irani tombaram forte no pregão de hoje. Os investidores acabaram ajustando o preço das ações ao valor da oferta.

 Na disputa pelas operações de telefonia móvel da Oi, a Highline larga com mais uma vantagem em relação ao grupo formado por Tim, Vivo e Claro: a aprovação dos órgãos reguladores. Saiba por quê.

INVESTIMENTOS 

 Felipe Neto e Gabriela Pugliesi revelaram lados opostos (e errados) sobre o que as pessoas acham da bolsa. Este é um dos assuntos do nosso podcast, que também fala da semana dos mercados. Aperte o play e confira!

 Com a popularização da bolsa, cresce a ideia de fazer grana do dia pra noite com daytrade (alô, Pugliesi!). Mas as chances de sucesso de um trader ocasional são baixas e, além de tudo, o ofício pode abalar a sua vida, como diz o Felipe Miranda

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

Petróleo, minério e tudo que há de bom

Entre o fantasma do Orçamento com pedaladas, a besta da PEC “fura-teto”, o gigante da CPI da Covid e o monstro da pandemia, o Ibovespa conseguiu hoje engatar a terceira alta seguida e fechar acima dos simbólicos 120 mil pontos, marca que o índice não via desde fevereiro. Mas como pode? Bem, mais uma vez […]

hoje não

Hering rejeita proposta da Arezzo para potencial fusão

Segundo a Cia. Hering, a proposta “não atende ao melhor interesse dos acionistas e da própria companhia”

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Combinação promete

Aura Minerals (AURA33): ouro e dividendos no mesmo investimento

Max Bohm, sócio e analista de Empiricus, enxerga um potencial enorme de crescimento na combinação oferecida pela mineradora

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies