Menu
2020-09-11T08:48:12-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
esquenta dos mercados

Investidores locais monitoram câmbio e setor de serviços em dia de recuperação em NY

Após mais um dia de queda nas bolsas americanas, os índices futuros em Nova York exibem sinais de recuperação. Na Europa, a cautela predomina nos negócios

11 de setembro de 2020
8:17 - atualizado às 8:48
bolsa
Imagem: Shutterstok

A sexta-feira começa com a exibição de sinais mistos nos mercados internacionais. Enquanto os índices futuros em Nova York ensaiam um dia de recuperação, na Europa a cautela impera com o impasse nas negociações de um acordo pós-Brexit entre União Europeia e Reino Unido.

No Brasil, os investidores aguardam os números do volume de serviços de julho e monitoram as falas do presidente Jair Bolsonaro sobre uma possível intervenção do governo no câmbio.

De olho no dólar

O fastasma da interferência governamental na economia volta a assombrar o mercado financeiro local, após o presidente Jair Bolsonaro declarar em sua live semanal que tem conversado com os seus ministros e Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, sobre caminhos legais para que o dólar não suba tanto, o que pode mexer com a cotação da moeda nesta sexta-feira.

No radar dos investidores também está a alta recente dos alimentos. O presidente disse ter autorizado a ministro da Justiça, André Mendonça, notificar supermercados pelo aumento dos itens da cesta básica. Enquanto isso, o ministério da Economia criticou em ofício medidas de controle de preços e alertou para a possibilidade de desabastecimento e busca pelo mercado informal

Pausa para correção

A pausa na cautela nas bolsas americanas foi breve e os investidores voltaram a mostrar preocupação com o preço dos ativos de risco nesta quinta-feira, com as bolsas americanas voltando a fechar em queda.

O movimento também foi alimentado pelos sinais mistos com relação a recuperação da economia global e as negociações entre União Europeia e Reino Unido em torno do Brexit.

Com o cenário negativo no exterior, o principal índice da bolsa brasileira - que chegou a abrir o dia em alta - terminou a sessão em queda de 2,43%, aos 98.834,59 pontos. O dólar subiu 0,39%, a R$ 5,3188.

Sinais mistos

Durante a madrugada, as bolsas asiáticas foram na contramão de Wall Street e fecharam o dia em alta.

Na Europa, a grande pauta dos últimos dias voltou a ser o Brexit. No momento, a União Europeia e o Reino Unido se encontram com um impasse nas negociações sobre o pacto comercial que deveria entrar em vigor em janeiro do ano que vem, após o período de transição do Brexit.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, encaminhou um projeto de lei que desfaz alguns pontos do acordo com a UE. O bloco espera que o governo britânico descarte os planos de anular o tratado do Brexit.

O impasse traz cautela aos negócios no continente, com as principais bolsas europeias operando no vermelho.

Em Nova York, os índices futuros das bolsas americanas voltam a exibir sinais de recuperação. Por volta das 7h45, os três principais índices operavam em alta.

O EWZ, principal ETF brasileiro negociado em Nova York, apresenta alta de quase 1% nesta manhã.

Agenda

O destaque do dia é a divulgação do volume de serviços prestados em julho pelo Instituto Brasileiro de Geogradia e Estatística (IBGE) (9h). A expectativa dos analistas é de que o setor apresente uma alta de 3,45%.

Lá fora, o destaque do dia fica com o índice de preços ao consumidor de agosto dos Estados Unidos (9h30) e a reunião dos ministros das Finanças da zona do euro (14h).

Vale em destaque

A mineradora Vale divulgou novas diretrizes de sua política de gestão de riscos, com objetivo de evitar a ocorrência de acidentes.

Além disso, a empresa também anunciou a aprovação de pagamento de proventos, no valor de R$ 2,4075 por ação.

O BNDESPar anunciou a intenção de vender as debêntures participativas que possui na mineradora.

Os American Depositary Receipts (ADRs) da Vale negociados em Nova York sobem mais de 2,4% no pré-mercado.

Fique de olho

  • Acionistas da Tecnisa rejeitaram proposta de fusão com a Gafisa.
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

demandas em meio à crise

Concessões no crédito livre sobem 0,5% em agosto, revela BC

Em agosto, no crédito para pessoas físicas, as concessões subiram 2,1%, para R$ 153,3 bilhões. Em 12 meses até agosto, há alta de 3,0%.

análise

Duratex pode subir 22%, diz Goldman Sachs: ‘Melhor trimestre em 10 anos’

Analistas do banco veem alta demanda em todas as áreas de atuação da empresa, impulsionada pela retomada do mercado imobiliário no País; ação sobe 6% nesta segunda

EXILE ON WALL STREET

TINWO: carta a um jovem investidor

Investimento tem seu próprio momento de maturação; para amadurecê-lo, não há como apressar sua seiva

K-POP NA BOLSA

Agência de K-pop Big Hit faz oferta de ações na bolsa e deixa membros do BTS multimilionários

A companhia, que captou mais de US$ 820 milhões e fará a sua estreia no índice KOSPI em outubro, pretende pegar carona na popularidade crescente de suas estrelas

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements