Menu
2019-06-10T15:25:09-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Batalha nas redes

Vazamento de conversas de Sergio Moro provoca ‘guerra de hashtags’

Apoio à Operação Lava Jato registra mais de 247 mil menções, resta saber como a movimentação das militâncias virtuais vai bater na política

10 de junho de 2019
13:20 - atualizado às 15:25
Ministro da Justiça, Sergio Moro
Ministro da Justiça, Sergio Moro - Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O caso envolvendo o vazamento de conversas do ministro da Justiça, Sergio Moro, quando era juiz, e procuradores da Operação Lava Jato segue como assunto mais comentado nas redes sociais.

A hashtag “#EuApoioaLavaJato” tem mais de 247 mil menções, mostrando virtual apoio ao atual ministro e à operação de combate à corrupção (atualizado 15h20).

Já tínhamos visto a popularidade de Moro nas redes, que são bastante acompanhadas pelo Palácio do Planalto, no episódio envolvendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Naquela ocasião, comentamos que o Congresso tentou impor uma derrota ao governo Jair Bolsonaro, que não conseguiria defender seu ministro mais popular, mas que no fim, a “conta” acabou caindo sobre deputados e senadores, que foram duramente cobrados nas redes e nas manifestações no dia 26 de maio.

Encurtando a história, Moro ficou sem o Coaf, pois o risco de mudar a MP 870 era o governo perder sua reforma administrativa. A lógica política prevaleceu, mas a pressão das redes ecoou sim dentro do Congresso. Algo que também vimos na votação da MP 871, que tratava do combate a fraudes no INSS.

No caso atual, as redes saem, novamente, em defesa do ministro que virou símbolo da luta contra a corrupção. Resta saber agora como isso vai ecoar na política, pois também temos manifestações contra o ex-juiz e favoráveis ao ex-presidente Lula.

Mesmo que em menor monta, a hashtag “#MoroCriminoso” tinha 53,8 mil menções e “#EuApoioTheIntercept”, em apoio ao site que divulgou as conversas, tinha mais de 20 mil tuítes. O "#LulaLivreJa" tinha pouco mais de 9 mil tuítes (início da tarde).

No mundo real, a oposição já se articula para convocar o ministro a dar explicações e devemos ver mais de um pedido de CPI para investigar o caso.

O presidente Bolsonaro ainda não utilizou seu “Twitter” para tratar do tema, mas outros membros do governo estão atuando.

Nas redes, questões técnicas e discussões racionais perdem espaço para guerras de narrativas. É o império do viés de confirmação – só enxergo o que reforça minha tese - e da dissonância cognitiva – tudo que contraria minha tese, reforça minha fé. Também encontramos espaço para saborosas teorias da conspiração.

Ainda parece cedo para tirar conclusões com relação ao episódio, ainda mais que o “The Intercept” diz ter mais material para ser divulgado. Mas será importante e interessante ver como vai evoluir essa conversa das redes com a política.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Tamanho menor

Zara fecha sete lojas no Brasil em plano de reorganização

O plano da empresa foi traçado em 2020 e, no Brasil, começou ainda no ano passado, com o fechamento de lojas nas cidades de Joinville (SC) e São José dos Campos (SP)

Seu Dinheiro no sábado

A única coisa que Bill Gates não pode comprar

Troca de presidente nos Estados Unidos, início da vacinação para covid no Brasil e comunicado do Banco Central com vocabulário novo. A semana que se encerra trouxe novidades importantes. É bem verdade que também teve notícia velha, daquelas que encontramos todos os dias: disputas políticas entre Jair Bolsonaro e João Dória, caos nos hospitais públicos […]

Sem dieta

McDonald’s tem planos de abrir 50 novos restaurantes na América Latina, 80% deles no Brasil

Rede pretende investir até US$ 130 milhões (R$ 690 milhões) na região e também quer reforçar o drive-thru, delivery e o aplicativo

Bilionário imunizado

Adivinha quem já foi vacinado? Bill Gates compartilha foto e diz como se sente após tomar 1ª dose

Fundador da Microsoft compartilhou foto do momento em que era vacinado e enalteceu o trabalho dos cientistas, voluntários e profissionais da saúde que trabalham no combate à pandemia

Início de cobertura

Após queda de 56%, XP revela o que espera das ações da dona da rede de restaurantes Frango Assado e Pizza Hut no Brasil

Os analistas da corretora iniciaram a cobertura das ações da IMC com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 4,00, o que indica um potencial de alta de 8%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies