Menu
2019-10-26T12:43:04-03:00
Estadão Conteúdo
nova gigante no pedaço

WarnerMedia assume HBO na América Latina

A operação da HBO na América Latina, que funcionava em uma parceria entre a Warner e a Ole Communications, abarca hoje os canais HBO, Max, Cinemax e o serviço HBO Go.

26 de outubro de 2019
10:32 - atualizado às 12:43
HBO
Imagem: Shutterstock

A WarnerMedia, gigante do conteúdo que pertence ao grupo das telecomunicações americana AT&T, anunciou ontem a compra das operações dos canais da HBO na América Latina, com exceção do Brasil.

A empresa está em uma cruzada pela mudança da legislação brasileira, que proíbe que operadoras de TV sejam também produtoras de conteúdo - conhecida como "lei do cabo", ou Seac, que está em vigor desde 2001. No anúncio relativo à HBO, a WarnerMedia citou a legislação nacional como a razão para a não inclusão do País na aquisição na região.

Segundo a divulgação, a aquisição permitirá a extensão do serviço HBO Max, que o grupo lança em 2020, para toda a região - menos para o Brasil.

A operação da HBO na América Latina, que funcionava em uma parceria entre a Warner e a Ole Communications, abarca hoje os canais HBO, Max, Cinemax e o serviço HBO Go.

Com o acordo, a WarnerMedia passa a controlar 100% das operações de língua espanhola. A joint venture sobrevive no Brasil. "Temos a opção de adquirir os negócios no Brasil, mas não faremos isso no momento", disse Gerhard Zeiler, presidente da WarnerMedia International Networks.

Venda

Foi por causa da Seac que o grupo Globo teve de se desfazer de sua participação na operadora Net para ter a possibilidade de manter o controle dos canais Globosat, como GNT, GloboNews, Multishow e MaisGlobosat.

Um dos aliados da tentativa da AT&T de derrubar a separação entre produção e distribuição de conteúdo no País é o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, que tem feito lobby pela mudança na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em 5 de setembro, a agência reguladora pediu mais 120 dias para analisar se aprova ou não a fusão da AT&T e da TimeWarner (hoje WarnerMedia) no Brasil. O negócio, que movimentou US$ 85 bilhões, foi anunciado há três anos. O risco é que a Anatel obrigue a AT&T a se desfazer da Sky no País, da mesma forma que ocorreu com a Globo e a Net no passado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Reverteu prejuízo

Vale termina 2020 com lucro de US$ 4,9 bilhões e aprova dividendos

Mineradora conseguiu reverter prejuízo do ano anterior e aprovou distribuição de dividendos, mas lucro trimestral veio abaixo do esperado pelo mercado

Risco fiscal

Efeito de fatiamento da PEC emergencial seria extremamente perverso, diz secretário do Tesouro

“Se for fatiado será pior para todos. Queremos dar o auxílio aos vulneráveis, mas também precisamos de um ambiente fiscalmente organizado para que a economia melhore”, disse Bruno Funchal

Nível pré-pandemia

Governo Central tem superávit de R$ 43,219 bilhões em janeiro

Após 11 meses consecutivos de rombos causados pelos gastos de enfrentamento à pandemia, contas do Governo Central voltam a ter superávit

Pagamentos e maquininhas

Lucro do PagSeguro soma R$ 430 mi no trimestre, maior da história da companhia

Entretanto, companhia com ações negociadas na Nasdaq teve queda no lucro em 2020

o melhor do seu dinheiro

Lá vem o Leão de novo…

Estamos naquela época do ano de novo: temporada de prestação de contas ao Leão! A Receita Federal acaba de divulgar as regras de preenchimento da declaração de imposto de renda 2021, que neste ano deverá ser entregue entre 1º de março e 30 de abril. Parece que foi ontem que estávamos fazendo o exercício cívico […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies