Menu
2019-06-07T18:42:46-03:00
Estadão Conteúdo
Passou sem restrições

Superintendência do Cade aprova operação entre Petrobras e ONGC

Operação consiste na cessão gratuita à Petrobras da participação de 25% detida pela ONGC na Concessão BM-BAR-1

30 de abril de 2019
14:46 - atualizado às 18:42
Petrobras
Operação ainda está sujeita à aprovação da ANP - Imagem: Shutterstock

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a operação entre a Petrobras e a ONGC, que é a subsidiária brasileira do Grupo ONGC, da Índia, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 30.

A operação consiste na cessão gratuita à Petrobras da participação de 25% detida pela ONGC na Concessão BM-BAR-1.

Segundo informações do parecer da superintendência, atualmente, a Petrobras já detém 75% da concessão. Assim, ao final da operação, a empresa passará a deter a integralidade dos direitos de exploração do Bloco BM-BAR-1.

A cessão dos direitos à exploração, desenvolvimento e produção de petróleo será formalizada por meio do Joint Operating Agreement ("JOA"), a ser celebrado entre a Petrobras e a ONGC.

Na justificativa estratégica do negócios, as empresas argumentam que a "operação representa uma oportunidade para a ONGC mitigar riscos exploratórios e a exposição do capital. Já a Petrobras vislumbra méritos geológicos que justificam o investimento na busca por hidrocarbonetos na área do bloco mencionado".

A operação, que está sendo notificada apenas no Brasil, ainda está sujeita à aprovação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

entrevista

‘Episódio Petrobras deu um susto grande nos investidores’, diz economista do Itaú

O economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita, diz também estar preocupado com as incertezas políticas, que ameaçam o crescimento do PIB

Dificuldades À vista?

Deputados falam em reduzir medidas de ajuste fiscal do texto da PEC do auxílio

Embora defenda celeridade na análise da proposta, Albuquerque admite que o texto pode ser enxugado

escolha da CEO

Investir no Brasil: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come

Confira uma seleção de matérias feita pela CEO do Seu Dinheiro, Marina Gazzoni

Efeitos da pandemia

PEC do auxílio aprovada no Senado prevê abater R$ 100 bi da dívida pública

Pelos cálculos do governo, a necessidade de financiamento da dívida pública federal (DPF) neste ano é de R$ 1,469 trilhão, valor que aumentou por causa do maior volume de títulos de curto prazo que o governo precisou emitir para conseguir captar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies