O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-02-21T19:26:10-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Passado, presente e o futuro do presente

No “day after” da reforma da Previdência, investidores já começaram a especular sobre os obstáculos que o projeto terá no Congresso

21 de fevereiro de 2019
19:25 - atualizado às 19:26
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O tema da reforma da Previdência até já saiu dos “trending topics” do Twitter, mas continua no centro das nossas atenções (e tensões).

Afinal, não se trata de uma proposta simples, e ainda trouxe uma grande novidade em relação às outras iniciativas de mudança no sistema de aposentadorias.

Enquanto as reformas do passado se preocuparam principalmente com o futuro, ou seja, com a idade de aposentadoria e tempo de contribuição ao sistema, a proposta encaminhada pela equipe de Bolsonaro mexe também com o presente.

Isso porque o projeto prevê a mudança nas alíquotas de contribuição para a Previdência. Em outras palavras, o percentual descontado todos os meses do seu salário.

A mudança, caso aprovada pelo Congresso, valerá para todos, não importa quantos anos você tenha ou a quanto tempo esteja da esperada aposentadoria. Nem se você contribui para o regime geral ou o específico dos servidores públicos.

As novas alíquotas estão no cerne da mensagem que a equipe de Bolsonaro procurou passar sobre a reforma: quem ganha mais também vai contribuir mais.

Mas como vai ficar o seu salário e qual valor será descontado depois da aprovação da nova Previdência? A Julia Wiltgen desbravou o mar de contas e alíquotas para trazer essa resposta para você.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Pais e filhos

Dando sequência às suas já conhecidas pérolas, Paulo Guedes voltou a usar floreios para explicar e defender a reforma da Previdência. Dessa vez ele optou por instigar o lado responsável dos pais e mães desse Brasil ao dizer que, a cada corte na proposta de reforma feito hoje, cortes na mesma medida serão feitos aos nossos filhos e netos. Como o posto Ipiranga tem sua parcela de razão, o Eduardo Campos resolveu preparar esta matéria em que ele conta um pouco mais sobre o significado desses cortes para o futuro das aposentadorias brasileiras.

Diluir ou não diluir

Investidores passaram boa parte do pregão desta quinta-feira em cima do muro, mas a bolsa encontrou forças para voltar a subir. No “day after” do envio da reforma da Previdência, todos estão em busca de um sinal de que o governo conseguirá bancar a tramitação e a votação do projeto. Apesar da boa recepção às mudanças, o receio de que a proposta sofra uma grande diluição durante a tramitação no legislativo segue na mesa. Saiba o que movimentou o mercado na nossa cobertura.

Liquidação nas Casas Bahia

Depois de divulgar mais um resultado abaixo da crítica, as ações da Via Varejo, dona da Casas Bahia e do Ponto Frio, até que resistiram relativamente bem no pregão de ontem. Mas a notícia de que o Pão de Açúcar vai continuar se desfazendo da participação na companhia com a venda dos papéis diretamente na bolsa foi a gota d’água. Em uma “Black Friday” fora de época, as ações encerraram o dia em forte queda. Saiba mais sobre o calvário da varejista.

Empresários previdentes

Eu já comparei a abertura de capital de uma empresa na bolsa a um casamento. É o momento em que empresários vendem parte de suas ações a investidores no mercado em busca de recursos para ampliar seu negócio ou fazer aquisições de concorrentes. Pois com toda a expectativa de melhora da economia, por que as ofertas de ações (IPOs) ainda não voltaram? Eu fiz essa pergunta em um evento da Anbima, a associação das instituições que atuam no mercado de capitais. A resposta você confere nesta matéria que eu escrevi.

Dia 52 de Bolsonaro - "Discrição com o vizinho"

O noticiário do dia acabou pautado pelas declarações de Nicolás Maduro, que se segura como pode no “comando” da Venezuela. Para o ditador é preciso responder às provocações do Brasil e outros países vizinhos, que tentam enviar ajuda humanitária e já reconheceram Juan Guaidó como presidente do país. Por aqui, a postura do governo Jair Bolsonaro foi de... (leia mais)

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro avança em dia de alta volatilidade pós-Fed e dólar recua hoje

Após a decisão de juros do Fed, os mercados operam voláteis em um forte movimento de ajuste de carteiras hoje

O melhor do Seu Dinheiro

Mais um alarme de preço baixo, Tesla em queda, bear market do bitcoin, novo fundo do Itaú e outras notícias que mexem com o seu bolso

Apesar de resultados sólidos no quarto trimestre, papéis de construtoras seguem em queda. Confira se é hora de comprar ações do setor e quais informações você precisa levar em conta antes de decidir

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas no exterior tentam se recuperar da queda após decisão do Fed e Ibovespa busca manter ritmo de alta mesmo com risco fiscal no radar

Depois de tocar os 112 mil pontos ontem (26), a bolsa brasileira precisa enfrentar o ajuste de carteiras ao novo cenário de juros altos

Exclusivo

Na “caça aos unicórnios”, Itaú lança fundo para aplicar em gestores de investimentos alternativos

O banco acaba de abrir para captação o Polaris, fundo com objetivo de retorno de até 25% ao ano e foco em investimentos que vão bem além do “combo” tradicional de bolsa, dólar e juros

CONSTRUTORAS COM DESCONTO

Vendas de imóveis em alta, ações em baixa. A queda das incorporadoras abriu uma oportunidade de compra na bolsa?

Os resultados do quarto trimestre mostram que as empresas do setor entregaram desempenhos sólidos, mas as ações caminham na direção contrária