Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-05-13T18:56:41-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Dias de risco

13 de maio de 2019
18:56
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

No dicionário do mercado financeiro, a palavra “risco” pode ser traduzida como a possibilidade de o cenário que você espera não se materializar.

O termo pode ser empregado em qualquer situação. Por exemplo, caso você esteja pessimista, o risco para os seus investimentos é o de as coisas darem certo.

Para a maior parte do mercado, a economia brasileira passou a inspirar confiança desde o fim do ano passado, com a perspectiva de aprovação de uma agenda de reformas no país. Isso se traduziu na alta das ações que nós observamos nos primeiros meses do ano.

Havia então basicamente dois riscos: o desempenho da economia e o andamento da reforma da Previdência no Congresso. Como ambos vêm decepcionando, a bolsa devolveu uma parte da valorização recente.

Ainda assim, o ambiente ainda era favorável porque o cenário externo ajudava, principalmente depois que o BC americano descartou um aumento dos juros por lá.

Só que ainda havia um bode na sala, e com uma conta no Twitter. Desde que Donald Trump reacendeu o temor de uma guerra comercial entre EUA e China, a probabilidade de um desfecho favorável para a economia mundial diminuiu.

A temperatura da crise, que já havia subido na semana passada, entrou em estado de fervura com a decisão dos chineses de dobrar a aposta e anunciar um aumento das tarifas sobre produtos americanos.

Com mais riscos no radar, a decisão dos investidores é a mesma: buscar proteção. Isso se traduz em venda de ações e compra de dólar.

Com uma forte queda de 2,69%, o Ibovespa voltou a se aproximar do patamar de 90 mil pontos. A moeda americana chegou a bater nos R$ 4,00, mas perdeu força ao longo do dia. Como você já sabe, o Victor Aguiar acompanhou de perto e traz todo o panorama desse dia de fuga do risco nos mercados.

O abismo é logo ali

Em dias de pega pra capar no mercado como hoje surgem fagulhas por todos os lados. Uma das especulações que voltaram à baila foi a de que a China poderia vender seu estoque trilionário de títulos da dívida americana como retaliação na guerra comercial com o país de Donald Trump. Se isso de fato acontecer, meu amigo, o mercado estaria diante de um abismo, pronto para pular, afinal os chineses são ninguém menos que os maiores financiadores da dívida norte-americana. Mas quais as chances de algo do tipo acontecer? O Eduardo Campos foi atrás da resposta e conta para você.

Quem te viu, quem te vê

"Quem não conhece não pode mais ver pra crer", diria o analista Chico Buarque sobre o ressurgimento do bitcoin. Depois de uma estrondosa queda no ano passado, que fez muita gente pensar se os detratores da mais famosa das criptomoedas não estavam certos, o bitcoin não só se tornou a melhor aplicação do ano como voltou à marca dos US$ 7 mil (R$ 30 mil) nesta segunda-feira, algo que não se via há muitos meses. Há quem diga que tudo não passe de especulação, mas a Bruna Furlani traz uma explicação técnica (e tecnológica) para essa valorização.

Perdeu o crachá

Uma das empresas que mais apanharam hoje na B3 foi a Braskem. A petroquímica, que mantém ações negociadas tanto aqui no Brasil como nos Estados Unidos, viu seus papéis entrarem em leilão no meio do dia e despencarem logo em seguida. O motivo por trás disso é que a companhia não entregou um formulário obrigatório e teve a negociação suspensa na Bolsa de Nova York (Nyse). Saiba como a empresa controlada por Odebrecht e Petrobras deixou isso acontecer.

Azia e má digestão

Os resultados trimestrais que foram divulgados por algumas empresas hoje não ajudaram a melhorar o clima do mercado. A queda de quase 60% no lucro da fabricante de biscoitos (bolachas?) e massas M. Dias Branco no 1º trimestre derrubou os papéis da companhia hoje na bolsa. No mundo dos hambúrgueres, outro tombo: ações do Burger King caíram mais de 3% após a rede de fast food anunciar mudanças contábeis em seu balanço e ver a geração de caixa vir abaixo das expectativas do mercado.

Novela aérea

A novela “Quem vai ficar com a Avianca” teve uma nova reviravolta. Com medo de perder oportunidades dentro do leilão da aérea, a Azul decidiu fazer uma jogada ousada. A companhia ofereceu US$ 145 milhões por uma parte da empresa que teria na bagagem horários de chegada e partidas em aeroportos, incluindo alguns da ponte aérea Rio-SP. A ideia é garantir a participação da Azul dentro das principais rotas do país.

A grama do vizinho…

...pode, de fato, estar mais verde. Hoje de manhã a Marina Gazzoni falou para você que o Tesouro Direto vai desembolsar nada menos que R$ 9 bilhões na próxima quarta-feira para pagar os investidores em um mega-vencimento de títulos públicos. A hora, portanto, é de pensar o que fazer com essa grana que vai ser liberada. Seria o caso de reinvestir no Tesouro ou partir para a grama do vizinho? No que depender de alguns planejadores financeiros, a segunda opção é a melhor, como você pode conferir nesta matéria.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies