Menu
2019-10-14T14:11:22-03:00
Estadão Conteúdo
Olha eles aí outra vez

Deputados favoráveis à reforma da Previdência defendem volta da capitalização e de Estados

Sessão para debates sobre o relatório na comissão especial da reforma da Previdência na Câmara contou com várias defesas dos pontos retirados

18 de junho de 2019
15:54 - atualizado às 14:11
Comissão especial sobre a reforma da Previdência na Câmara
Comissão especial sobre a reforma da Previdência na Câmara - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Em mais de cinco horas de sessão da Comissão Especial da reforma da Previdência, deputados favoráveis à reforma continuam defendendo o retorno da capitalização ao texto, além do enquadramento dos servidores de Estados e municípios nas novas regras para as aposentadorias.

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) mais uma vez discursou a favor da inclusão dos entes federativos na reforma da Previdência. "Faço um apelo aos colegas para que a gente inclua os Estados e municípios na reforma", repetiu.

Para o deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP), não adianta fazer reformas periódicas em um regime que, segundo ele, não funciona mais. Ele defendeu o retorno da proposta de criação do regime de capitalização ao texto da reforma. "O atual sistema é uma máquina de desigualdade social. No Brasil, a madame se aposenta muito antes que a doméstica e o engenheiro se aposenta muito antes que o pedreiro", completou.

O deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) fez mais uma defesa enfática da reforma e elogiou a decisão do relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), em recompor de 15% para 20% a alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) cobrada dos bancos. "Os banqueiros não colaboram com nada. Mantêm os juros nas alturas", criticou.

Em rápida fala, o deputado Alex Manente (Cidadania-SP) também elogiou o relatório de Moreira e considerou a reforma fundamental para a correção das contas públicas.

Já deputado João Daniel (PT-SE) apontou que haveria contradição entre as posturas de Jair Bolsonaro como deputado e como presidente em relação à reforma da Previdência. "Bolsonaro sempre foi contra a reforma e chamou de perversa uma proposta muito mais leve do que essa que ele agora enviou", afirmou. "Se essa reforma quisesse apoio da oposição, ela não poderia mexer na aposentadoria da classe trabalhadora", completou.

Defensor da taxação de lucros e dividendos, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), avaliou que o debate deve se concentrar em como arrecadar mais, antes de se discutir os sacrifícios que a população terá que fazer. "A reforma tributária tem que vir antes da reforma da Previdência. Só assim poderemos saber quem pode pagar muito e quem deve pagar pouco", argumentou.

Em cinco horas de sessão, 28 parlamentares fizeram o uso da palavra. A lista de inscritos conta com 155 deputados, sendo 64 para falar a favor da reforma e 91 contra a medida. Além disso, os cerca de 30 líderes partidários também têm direito à fala. A expectativa é de que o debate dure por diversas sessões.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Reverteu prejuízo

Vale termina 2020 com lucro de US$ 4,9 bilhões e aprova dividendos

Mineradora conseguiu reverter prejuízo do ano anterior e aprovou distribuição de dividendos, mas lucro trimestral veio abaixo do esperado pelo mercado

Risco fiscal

Efeito de fatiamento da PEC emergencial seria extremamente perverso, diz secretário do Tesouro

“Se for fatiado será pior para todos. Queremos dar o auxílio aos vulneráveis, mas também precisamos de um ambiente fiscalmente organizado para que a economia melhore”, disse Bruno Funchal

Nível pré-pandemia

Governo Central tem superávit de R$ 43,219 bilhões em janeiro

Após 11 meses consecutivos de rombos causados pelos gastos de enfrentamento à pandemia, contas do Governo Central voltam a ter superávit

Pagamentos e maquininhas

Lucro do PagSeguro soma R$ 430 mi no trimestre, maior da história da companhia

Entretanto, companhia com ações negociadas na Nasdaq teve queda no lucro em 2020

o melhor do seu dinheiro

Lá vem o Leão de novo…

Estamos naquela época do ano de novo: temporada de prestação de contas ao Leão! A Receita Federal acaba de divulgar as regras de preenchimento da declaração de imposto de renda 2021, que neste ano deverá ser entregue entre 1º de março e 30 de abril. Parece que foi ontem que estávamos fazendo o exercício cívico […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies