Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-05-22T19:32:23-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

15 anos esta noite

22 de maio de 2019
19:32
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Um dos grandes marcos do mercado de capitais brasileiro está para completar 15 anos. Trata-se da oferta de ações da empresa de cosméticos Natura.

A abertura de capital aconteceu no dia 26 de maio de 2004 na antiga Bovespa - bem antes da fusão com a BM&F e da mudança de nome para B3. Desde então, as ações da companhia se valorizaram mais de 1.250%, de acordo com a Economatica.

Só que os ganhos não foram apenas dos acionistas. O IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial) da Natura abriu terreno para mais de uma centena de empresas virem a mercado nos anos seguintes.

Para você ter uma ideia, quando a companhia colocou os pés na bolsa, havia apenas uma empresa listada no Novo Mercado, o segmento que reúne as ações de companhias com práticas mais rigorosas de governança corporativa. Hoje são 140.

Na época da oferta de ações, a Natura já era uma empresa grande, com faturamento da ordem de R$ 2 bilhões. Nada comparado ao tamanho que ganharia nos anos seguintes, com o crescimento das vendas e aquisições estratégicas.

Mas quis o destino que o negócio mais importante da história da empresa tenha saído justo na véspera de completar 15 anos na bolsa. Logo depois do fechamento da bolsa, a Natura anunciou a compra da americana Avon, sua grande rival histórica.

O negócio, se for aprovado em todas as etapas burocráticas que ainda vêm por aí, formará um grupo com faturamento anual de US$ 10 bilhões (ou pouco mais de R$ 40 bilhões).

A notícia de que a compra estava bem perto de ser selada fez as ações da Natura dispararem mais de 9% hoje na B3. Saiba mais sobre essa grande aquisição que acaba de sair do forno.

Trégua merecida

Já estava na hora de a bolsa ter um dia de sossego depois das subidas e descidas nas dunas dos últimos pregões. Nessa pausa para respiro, o Ibovespa fechou em leve queda, assim como o dólar. Mas a pequena oscilação no fim do dia não significa que tenha faltado notícia durante as negociações. Que o diga o Victor Aguiar, que conta para você todos os detalhes do que rolou nos mercados.

Azul é o novo laranja?

Sai o laranja do Banco Inter e entra o azul do Banco Pan? Com planos de lançar ainda neste ano uma conta digital completa voltada para a população das classes C, D e E, o Pan se tornou um dos grandes destaques da bolsa neste ano. Só hoje as ações do banco controlado pelo BTG Pactual e pela Caixa dispararam 23%! Quem investiu nos papéis espera uma repetição do filme do Inter, cujo valor de mercado se multiplicou por três em um ano. Eu conto mais sobre o banco e a valorização das ações nesta matéria.

Oferta de ações? Lá no posto BR

A Petrobras segue firme e forte na sua missão de vender ativos que não são considerados estratégicos. Depois de abrir o capital da BR Distribuidora, a estatal aprovou a venda do controle da empresa de postos de combustíveis por meio de uma oferta pública de ações na B3. Vale a pena conferir os detalhes dessa história que promete abalar ainda mais os mercados amanhã.

Um passo de cada vez

Rodrigo Maia resolveu abrir o jogo sobre a reforma da Previdência. Em uma rara declaração sobre as negociações nos bastidores da Congresso, o presidente da Câmara falou quais pontos já estão definitivamente fora do projeto e quais ainda estão na corda bamba. E por falar em corda bamba, o sistema de capitalização não parece ser uma questão urgente para Maia, como você confere nesta matéria.

Bem vindo ao mundo real

Chegou mais uma vez a hora do governo fazer as contas sobre suas receitas e despesas. Você já deve ter percebido que a coisa está feia, e foi por isso que muita gente recebeu com surpresa o fato de que, nos cálculos divulgados hoje em Brasília, nada foi cortado dos ministérios. Infelizmente não podemos dizer o mesmo da estimativa para o PIB neste ano, que mais uma vez sofreu cortes pela equipe econômica. Confira os detalhes das contas e projeções do governo.

Dançou com a irmã e lavou as mãos

Dizem que acompanhar o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, é tão sem graça quanto dançar com a irmã. Mas isso não significa que o homem responsável pela condução dos juros no país não mande seus recados. No discurso de hoje, por exemplo, Campos Neto sinalizou que o BC já fez sua parte no processo de retomada da economia. Sabe o que isso significa? Confira na reportagem do Eduardo Campos.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Procura-se

Donos de exchange da África do Sul ‘desaparecem’ com US$ 3,6 bilhões em bitcoins após suposto ataque hacker

A maneira como as moedas foram embaralhadas torna quase impossível que as autoridades rastreiem para onde foram os bitcoins

Para ficar de olho

Oportunidade: Banco do Brasil abre concurso com mais de 2 mil vagas; veja como participar

Para participar da seleção os candidatos devem ter ensino médio completo e idade mínima de 18 anos. O salário inicial é de R$ 3.022,37

Energia elétrica

IPCA pode ir a 6,5% na bandeira vermelha

A bandeira vermelha 2, que tem custo adicional de R$ 6,243, iria a R$ 7,571 caso adotada a proposta da consulta pública

Esquenta dos Mercados

Relatório da inflação, leitura do PIB dos EUA e queda de ministro devem guiar a bolsa hoje

Assim como uma noite no deserto, o investidor deve ficar atento aos sinais para atravessar um momento de dificuldade

Volta ao original

Câmara rejeita emendas do Senado e retoma texto original de MP que eleva imposto para bancos

Deputados retomaram a alíquota de 25% na CSLL também para as agências de fomento e bancos de desenvolvimento estaduais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies