Menu
2019-04-25T17:55:23-03:00
Estadão Conteúdo
Sem toma-lá-dá-cá

Maia afirma que Câmara “não está trocando nada” para aprovação da reforma da Previdência

Presidente da Casa rebateu falas de líderes do Centrão de que o governo chegou a oferecer emendas extras para os deputados aprovarem o texto

24 de abril de 2019
19:23 - atualizado às 17:55
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia - Imagem: J.Batista/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a Câmara dos Deputados "não está trocando nada" ao responder se os parlamentares negociaram a aprovação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição, Cidadania e Justiça (CCJ) por emendas extras.

"O Orçamento está contingenciado, a reforma foi aprovada. Agora, se executar o Orçamento for crime não sei mais como se faz política. Agora, uma coisa é execução do Orçamento, outra coisa é trocar e a Câmara não está trocando nada", disse.

Líderes do Centrão dizem que o governo chegou a oferecer emendas extras para os deputados em conversas sobre a aprovação da reforma da Previdência.

A oferta teria sido feita em reuniões individuais realizadas na semana passada entre Maia, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e os líderes. A oferta seria de R$ 10 milhões por ano em emendas, o que totalizaria R$ 40 milhões ao final da legislatura.

"Ninguém está tratando sobre um Orçamento tão flexível assim para que se possa influenciar votação. Mas se governo tiver R$ 1 ou R$ 2 milhões para o meu Estado, vou ficar muito feliz", disse e acrescentou que o Rio de Janeiro passa por dificuldades.

Maia defendeu que deputados que votaram a favor da reforma o fizeram de forma responsável com a convicção de que era o melhor para a economia do País. "Sabemos que a votação da Previdência é fundamental", disse.

O presidente da Câmara voltou a reafirmar que trabalha para instalar a comissão especial da Previdência nessa quinta-feira, mas que depende da indicação dos membros dos líderes. Ele precisa ter a metade da comissão mais um deputado, ou seja, 26 nomes.

"Se instalar comissão amanhã, certamente a partir do dia 6 ou 7, o presidente da comissão vai construir calendário", afirmou.

Sobre a aprovação de terça-feira, Maia disse que o governo está mais participativo na defesa da reforma. "Ontem (terça) foi a vitória do legislativo, o governo passou a ajudar nos últimos dias. O ministro Onyx passou a ter uma participação mais efetiva, isso ajudou", disse.

Ele negou que o grupo de partidos do Centrão tenha saído fortalecido da negociação depois de negociar um acordo para a retirada de alguns pontos da reforma.

Sobre os parlamentares, ele disse que ficou impressionado com a mobilização de deputados nas redes. "Mas é fundamental que no sistema presidencialista o governo participe de forma efetiva. O presidente que já defendeu com menos ênfase vem aumentando essa defesa" disse.

"PSDB tem nos ajudado no processo (Previdência), tenho certeza que vai ter protagonismo grande na comissão especial", disse ainda. Ele não disse se já definiu o nome do presidente da comissão.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

pandemia

Covid-19: Brasil passa das 210 mil mortes causadas pela pandemia

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registraram 452 óbitos pela covid-19

seu dinheiro na sua noite

Antes tarde do que mais tarde

Com o uso emergencial de duas vacinas contra o coronavírus aprovado no Brasil, ainda que com muito atraso em relação a outros países (incluindo emergentes), o brasileiro pode enfim vislumbrar a possibilidade de um retorno à vida normal. Está certo que ainda vai demorar, e provavelmente veremos o resto do mundo voltar à normalidade, enquanto […]

Fechamento

Vacina empolga, mas incertezas ainda são muitas e limitam os ganhos do Ibovespa; dólar fica estável

Embora o início da vacinação tenha criado um princípio de euforia, as incertezas ainda são muitas e nublam o cenário

atenção, acionista

Itaúsa anuncia o pagamento de juros sobre capital próprio adicionais

Base do pagamento é a posição acionária final do dia 22 de janeiro; provento tem retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,01768 por ação

insatisfações com a estatal

Petrobras sai em defesa de sua política de preços

Estatal listou uma série de respostas para justificar eventuais aumentos concedidos ou que possam vir a ser feitos este ano, diante de preços de petróleo em franca recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies