Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-07-10T18:58:10-03:00
Estadão Conteúdo
Alô, Previdência

Líder da maioria quer unir em uma só votação destaques de consenso

O governo construiu um acordo com integrantes da bancada da bala e com representantes da categoria

10 de julho de 2019
18:31 - atualizado às 18:58
Previdência Social,Reforma da Previdência

Para dar celeridade à votação da reforma da Previdência, o líder da maioria na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), sugeriu aos demais líderes que se faça uma emenda aglutinativa para votar de uma só vez os destaques que já têm acordo: o de policiais e o de mulheres. "Eu sugeri aos líderes que se faça uma aglutinativa, que se coloque logo tudo, se tiver acordo", disse.

O governo construiu um acordo com integrantes da bancada da bala e com representantes da categoria. Para a transição, está acertada a idade mínima de 53 anos para homens e 52 para mulheres e 100% do chamado pedágio, que se refere ao tempo que o policial terá que trabalhar a mais do tempo que falta para se aposentar para obter as chamadas integralidade (se aposentar com o último salário da ativa) e paridade (que é ter os mesmos reajustes dos servidores da ativa). O PSL apresentou dois destaques para viabilizar o acordo.

Há também o destaque do DEM, apresentado em um acordo com integrantes da bancada feminina, para mudar o cálculo da aposentadoria para as mulheres.

O destaque sobre a aposentadoria dos professores, no entanto, ainda não tem acordo, segundo Ribeiro. O PL quer retirar os professores do escopo do texto da Previdência. Pelo texto aprovado na Comissão Especial, caso a reforma receba o aval de deputados e senadores, os professores se aposentarão com 60 anos (homens) e 57 anos (mulheres), com 25 anos de contribuição. Hoje não há idade mínima, mas se exige tempo de contribuição de 25 anos (mulheres) e 30 anos (homens) no setor privado. No setor público, a idade mínima exigida é de 50 anos (mulheres) e 55 anos (homens), com 25 anos (mulheres) e 30 anos (homens) de tempo mínimo de contribuição, sendo 10 anos como servidor público e 5 anos no cargo de professor.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Pesadelo na bomba

Por que o aumento dos combustíveis é ruim para o consumidor, mas traz um alívio enorme para a Petrobras (PETR4)

A alta não é surpresa e já havia sido antecipada até mesmo por Bolsonaro, um dos críticos mais ferozes da política de preços da estatal

Risco fiscal

O preço do furo no teto de gastos virá em forma de juro maior e recessão em 2022, diz Itaú

Com o aumento da incerteza fiscal, o Banco Central deverá entrar em um regime de “regime de contenção de danos”, segundo o banco, que prevê alta da Selic para até 11,25% ao ano

Me vê bitcoin

De olho no interesse dos clientes por bitcoin (BTC), Mastercard vai lançar plataforma que une criptomoedas com cartões de débito e crédito

Com essa integração, o cliente pode receber cashback em criptomoedas após compras no cartão de crédito, por exemplo

Exile on Wall Street

Felipe Miranda: Entre “O fim do Brasil —parte 2” e o começo da terceira via

Depois do desastre com o teto de gastos, o que podemos esperar de uma resolução que não envolva nem Lula nem Bolsonaro?

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje: Suas definições de “responsabilidade fiscal” foram atualizadas

A temporada de resultados brasileira, que começou na última sexta-feira, segue hoje com EcoRodovias, EDP Brasil, Neoenergia e TIM, após o fechamento do mercado. Enquanto isso, ao longo do dia, o presidente Jair Bolsonaro deverá lançar o Programa de Crescimento Verde, indicativo positivo para a COP26 de novembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies