Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-03T18:04:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Após polêmicas

Petrobras assina venda de Pasadena para Chevron

Valor da transação é de US$ 562 milhões, sendo US$ 350 milhões pelo valor das ações e US$ 212 milhões de capital de giro

31 de janeiro de 2019
6:37 - atualizado às 18:04
Refinaria de Pasadena, nos EUA
Imagem: Divulgação

A Refinaria de Pasadena, da Petrobras, instalada nos Estados Unidos, foi oficialmente vendida nessa quarta-feira, 30, para a americana Chevron.

O valor da venda é de US$ 562 milhões, cerca de metade do valor pago pela estatal brasileira para ter a unidade, que passou de US$ 1,3 bilhão.

Dessa quantia, US$ 350 milhões são referentes ao valor das ações e US$ 212 milhões de capital de giro (tendo outubro do ano passado como data base).

O valor final da operação está sujeito a ajustes de capital de giro até a data de fechamento da transação, segundo informou a estatal.

Ontem à noite, a estatal brasileira confirmou que sua subsidiária americana assinou ontem o contrato de compra e venda das ações detidas pela Petrobras nas empresas que compõem o sistema de refino de Pasadena.

Foram vendidas as sociedades Pasadena Refining System Inc. (PRSI), responsável pelo processamento de petróleo e produção de derivados, e PRSI Trading LLC (PRST), que atua como braço comercial exclusivo da PRSI, ambas detidas integralmente pela Petrobras America Inc. A PRSI possui capacidade de processamento de 110 mil barris de petróleo por dia (bpd).

A empresa informou que a refinaria é independente do Sistema Petrobras, que pode operar com qualidades de petróleos médios e leves e produz derivados que são comercializados tipicamente no mercado doméstico americano.

A conclusão da transação, informou a Petrobras, está sujeita à obtenção das aprovações pelos órgãos antitruste dos Estados Unidos e do Brasil.

Vende-se

A Petrobras comunicou em fevereiro do ano passado sua intenção de vender a refinaria. Ela entrou no programa de desinvestimentos da estatal, que prevê a venda de ativos não estratégicos para reduzir o endividamento da companhia.

Em janeiro, a Chevron anunciou ao mercado que aceitou a compra da refinaria, onde a companhia deve focar suas operações de "shale oil", o gás de xisto. O negócio ainda depende de uma série de aprovações para se concretizar.

Nesta terça-feira, o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, que assumiu o comando da empresa no início deste ano, reafirmou a intenção de vender ativos que não dão retorno à estatal e seus acionistas.

Símbolo de corrupção

A refinaria é protagonista de uma série de denúncias de corrupção no governo anterior e virou um símbolo de corrupção na Petrobras. Desvio de recursos na operação são investigados na Operação Lava Jato. A compra de Pasadena resultou em prejuízos de mais de meio bilhão de dólares à estatal, segundo apontou relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) em fevereiro do ano passado.

A empresa pagou um valor total de US$ 1,2 bilhão pela compra de Pasadena. Em 2006, a Petrobras pagou US$ 360 milhões para a Astra Oil por 50% da refinaria Astra Oil, número considerado superfaturado. Um ano antes, a Astra tinha comprado a empresa por um valor muito menor, de cerca de US$ 40 milhões. A Petrobras desembolou mais dinheiro ao longo do tempo para ter 100% da empresa.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Auxílio Brasil, recorde do bitcoin, balanço da Tesla e produção da Vale: confira as principais notícias do dia

Com a temporada de balanços americana trazendo resultados animadores, o empurrãozinho em direção a um dia de ganhos poderia ter sido maior, mas não tem como negar que a grande pedra no sapato do investidor brasileiro é o novo programa social pretendido pelo governo federal. O saldo final do pregão de hoje foi positivo, mas […]

Problemas nas refinarias?

Com ameaça de desabastecimento no radar, produção da Petrobras (PETR4) recua 4,1% no 3º trimestre

Antes da divulgação do relatório, a petroleira já havia informado que não teria capacidade para atender, em sua totalidade, os pedidos por fornecimento de combustível em novembro

FECHAMENTO DO DIA

Auxílio Brasil segue pressionando a curva de juros, mas Ibovespa e dólar conseguem alguma recuperação

O Ibovespa bateu na trave, e o Banco Central conseguiu segurar o câmbio, mas a pressão sobre as contas públicas segue castigando a curva de juros

Carros elétricos em alta

Para a Tesla (TSLA34) de Elon Musk, não há crise no setor automotivo: o terceiro trimestre teve lucro recorde

A Tesla (TSLA34) vai na contramão do restante do setor: a empresa de Elon Musk está vendendo mais carros e reportou um balanço forte no 3T21

AULA DE GIGANTES

De Round 6 a Mano Brown e Luiza Trajano, aprenda 5 ensinamentos para multiplicar seu patrimônio

Referências do mercado financeiro podem trazer insights relevantes para os investidores; confira algumas que o ‘Seu Dinheiro’ listou

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies