Menu
2019-08-06T17:15:51-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
ON versus PN

Dividendo extra dá impulso adicional a ação preferencial da Petrobras na bolsa

No total, a estatal vai pagar R$ 7,1 bilhões em dividendos, mas quem possui ações preferenciais vai receber R$ 0,67 a mais por ação do que os detentores de ações ordinárias

28 de fevereiro de 2019
11:48 - atualizado às 17:15
Petrobras
Imagem: Shutterstock

Depois de fazer as pazes com o lucro depois de quatro anos no vermelho, a Petrobras pode voltar a distribuir dividendos mais polpudos aos acionistas sem perder de vista o controle da situação financeira. Só que os detentores de ações preferenciais (PETR4) têm mais motivos para comemorar do que de papéis ordinários (PETR3).

Junto com o balanço, a Petrobras anunciou uma distribuição extra de R$ 106,7 milhões em dividendos às ações PN, o equivalente a R$ 0,019236 atualizados pela taxa básica de juros (Selic).

O valor foi pago para atender as regras do estatuto da empresa, que prevê uma distribuição mínima de dividendos para ações preferenciais, que não possuem direito a voto.

"Uma empresa endividada como a Petrobras deveria pagar menos dividendo e criar valor. Mas somos obrigados a pagar dividendo mínimo e continuaremos assim", disse hoje o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, em teleconferência com analistas.

No total, a estatal vai pagar R$ 7,1 bilhões em dividendos referentes ao lucro deste ano, que somou R$ 25,8 bilhões. Mas quem possui papéis PN vai receber R$ 0,67 a mais por ação do que os que possuem ações ON, que têm direito de voto nas assembleias. Cada ação PN terá direito a R$ 0,9225 e a ON, R$ 0,2535.

Dê preferência à preferencial

"Na nossa visão, o mercado esperava dividendos adicionais para ações ordinárias e esperamos que as ações preferenciais tenham um desempenho melhor que as ordinárias no próximo pregão", escrevem os analistas do Credit Suisse, em relatório a clientes.

Dito e feito. Depois de começarem o dia em alta, as ações da Petrobras acompanharam a piora do mercado e passaram a negociar em queda. Mas as PN tem um desempenho bem melhor, com baixa de 1,48%, cotadas a R$ 26,36, por volta das 14h, enquanto as ON recuavam 4,27%, a R$ 29,68.

Para os analistas do J.P. Morgan, as ações preferenciais da estatal são uma pedida melhor que as ordinárias hoje na bolsa.

Entre as razões da escolha das PN está a recente edição do Decreto nº 9.714, que permitiu ao BNDES vender os papéis ON da empresa diretamente no mercado. Antes da medida, era necessária uma autorização presidencial para a venda das ações com direito a voto. "Esse pode ser um gatilho para o spread [diferença] entre as duas diminuir", escrevem os analistas.

E você, o que acha? Prefere votar nas assembleias da Petrobras mas ter um dividendo menor ou receber uma parcela maior do lucro da estatal? Deixe sua opinião nos comentários abaixo ou lá no meu twitter.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies