Menu
2019-04-20T14:16:53-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Na bolsa Nasdaq

Mercado Livre fará nova oferta de ações e anuncia investimento da PayPal

Site de comércio eletrônico que é dono do Mercado Pago vai captar até US$ 2 bilhões e ganha ainda mais cara de fintech após acordo com gigante de pagamentos

11 de março de 2019
23:11 - atualizado às 14:16
Túlio Oliveira – diretor do Mercado Pago, mostra pagamento por QR Code
Pagamento feito pelo Mercado pago, do Mercado Livre - Imagem: Leo Martins/Seu Dinheiro

Em mais um sinal de que o setor de pagamentos e tecnologia está em ebulição, o site de comércio eletrônico Mercado Livre anunciou na noite de hoje que fará uma oferta de ações que pode chegar a até US$ 2 bilhões. Mas uma parcela de US$ 700 milhões em ações já tem comprador: a gigante de pagamentos PayPal.

Os papéis da companhia, que tem sede na Argentina mas tem a maior parte das receitas no Brasil, são listados na americana Nasdaq.

O acordo com a PayPal deixa o Mercado Livre ainda mais com cara de fintech. A empresa é dona do Mercado Pago, que oferece quase toda a gama de serviços bancários, de maquininhas de cartão a uma conta remunerada.

Eu fiz uma reportagem especial no mês passado sobre a plataforma, criada inicialmente para resolver os problemas de pagamento nas compras realizadas no site, mas que acabou ganhando vida própria e hoje já realiza mais transações fora das fronteiras do marketplace. No ano passado, o volume de operações realizadas pelo Mercado Pago atingiu US$ 18 bilhões (R$ 69 bilhões, no câmbio de hoje).

O dinheiro novo também vem em boa hora para o negócio de comércio eletrônico, que vai passar por um aperto da competição no Brasil com o avanço da Amazon.

Em comunicado, o Mercado Livre informou que pretende usar os recursos da oferta de ações na expansão da plataforma de comércio eletrônico, além de fortalecer a infraestrutura de logística e investir em soluções que "solidifiquem a posição da empresa como uma provedora de soluções de pagamento e tecnologia financeira de ponta a ponta".

No mesmo comunicado, Dan Schulman, CEO do PayPal, disse estar "impressionado" com o ecossistema de comércio e pagamentos digitais do Mercado Livre e afirmou que vê oportunidades de integração das plataformas.

Além da PayPal e da oferta em curso, o Mercado Livre receberá outros US$ 100 milhões do Dragoneer, fundo americano que também é investidor do Nubank. O acordo com o fundo será feito em uma operação à parte, com uma classe diferente de ações.

Ambas as operações estão condicionadas à oferta de ações e devem ser concluídas em conjunto.

O Goldman Sachs atua como assessor financeiro do Mercado Livre nos investimentos do PayPal e Dragoneer. O banco americano também vai coordenar a oferta de ações, ao lado de J.P. Morgan e Morgan Stanley.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

PANOS QUENTES

‘Apresentei desculpas e colocamos ponto final’, diz Salles sobre atrito com Ramos

Salles e Ramos protagonizaram o mais recente atrito dentro do governo, tornado público após chefe do Meio Ambiente se referir ao general como “Maria Fofoca”

ALÍVIO

Mortes por covid-19 chegam ao menor nível desde maio, diz Fiocruz

Média móvel de novos casos ficou em 22.483 no sábado, alta de 11% em relação aos casos da semana anterior

LUTO

Morre presidente da Samsung, aos 78 anos

Lee Kun-hee foi responsável por transformar a companhia em um dos maiores conglomerados do mundo

INFLAÇÃO

Custo alto deve se manter até 2021 no material de construção

Superaquecimento de itens é reflexo de distorção entre oferta e demanda, diz pesquisadora da FGV

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies