Menu
2019-05-16T18:50:28-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Otimismo, muito otimismo

Com fome? Marfrig divulga projeções agressivas e ações disparam mais de 7%

A Marfrig deu a entender que os próximos trimestres serão bastante positivos, apresentando projeções que surpreenderam os analistas — e animaram o mercado

16 de maio de 2019
16:47 - atualizado às 18:50
Frigorífico Marfrig JBS BRF carne
Imagem: Shutterstock

Os resultados trimestrais da Marfrig foram considerados neutros por analistas. No entanto, a empresa não deixou dúvidas: está com muita fome de resultados para o restante do ano. E essa agressividade foi bem recebida pelo mercado.

O frigorífico reportou, junto de seus resultados trimestrais, algumas projeções financeiras para o ano, dando a entender que o restante de 2019 será bastante forte. E, como resultado, as ações ON (MRFG3) da empresa dispararam nesta quinta-feira (16), fechando em alta de 7,87%, a R$ 6,85 — na máxima, chegaram a subir 9,45%, a R$ 6,95.

O comportamento dos papéis da Marfrig destoou do restante do Ibovespa. Num dia marcado pela tensão dos mercados em relação ao cenário político local, o índice fechou em queda de 1,75%, aos 90.024,47 pontos.

A Marfrig encerrou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 4,3 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 203 milhões contabilizado há um ano. A receita líquida saltou 229%, para pouco mais de R$ 10 bilhões, e o Ebitda — o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização — avançou 214% em termos ajustados, para R$ 571 milhões.

Mas o que fez os olhos do mercado brilharem foi o guidance do frigorífico para o ano. A empresa irá perseguir uma receita líquida consolidada entre R$ 47 bilhões e R$ 49 bilhões neste ano — o que, considerando o resultado dos três primeiros meses de 2019, implica em receitas médias de mais de R$ 12 bilhões por trimestre até o fim do ano.

A Marfrig ainda projeta uma margem Ebitda de 8,7% a 9,5% no resultado de 2019 — o que também supõe uma forte evolução nos próximos trimestres, já que, entre janeiro e março deste ano, esse indicador ficou em 5,7%.

Por fim, a companhia estima um fluxo de caixa livre entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão no ano. No primeiro trimestre, a Marfrig registrou um consumo de R$ 1,4 bilhão de caixa.

A agressividade das projeções chamou a atenção dos analistas. O Bradesco BBI destaca que caso a estimativa para receita fique no centro da faixa informada — ou seja, R$ 48 bilhões —, a Marfrig irá superar as projeções do banco em 5%.

"Apesar de termos uma abordagem conservadora e não alterarmos nossas estimativas, destacamos que o novo guidance da Marfrig sugere uma forte melhoria no restante do ano", diz o Bradesco. "Acreditamos que as projeções da empresa podem incorporar um cenário de preços e volumes mais forte, dado o impacto do surto de febre suína na China".

O BTG Pactual segue linha semelhante — a casa também acredita que as projeções da Marfrig levam em conta um cenário em que a febre suína na China irá "transformar as coisas" nos próximos trimestres. O banco ressalta que uma geração de caixa de R$ 1,25 bilhão em 2019 — no centro das estimativas informadas pela empresa — implica numa geração de cerca de R$ 2,7 bilhões nos próximos trimestres.

Para o Itaú BBA, as estimativas divulgadas pela Marfrig ficaram acima das expectativas, uma vez que a casa projetava receita de R$ 45 bilhões neste ano. "Planejamos atualizar nossas estimativas para levar o guidance em consideração", diz o banco.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

coronavírus no país

Covid-19: Brasil tem 1,2 mil novas mortes e 60 mil novos casos

Até o momento, 2.356.640 pessoas se recuperaram da doença

seu dinheiro na sua noite

A questão de Bolsonaro: ser ou não ser liberal

Ser ou não ser liberal. Eis a questão de Jair Bolsonaro. O presidente foi eleito com uma pauta de defesa das reformas, redução do tamanho do Estado e equilíbrio das contas públicas. O fiador desse discurso foi Paulo Guedes, que assumiu o comando da economia. O receituário foi seguido no primeiro ano de mandato, com […]

de olho nos números

Suzano, JBS, B3, Cyrela, Lojas Americanas, B2W, Hering: os balanços que vão mexer com o mercado nesta sexta

Balanços do segundo trimestre devem guiar os negócios no Ibovespa no último pregão da semana

Balanço

B3 tem lucro 28,9% maior no 2º trimestre e aumenta investimento para dar conta do volume da bolsa

A dona da bolsa brasileira registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,012 bilhão e pretende investir até R$ 425 milhões em sistemas e novos produtos para o mercado

confiança com capitalização

Para presidente da Eletrobras, saída de Mattar não prejudica privatização

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse nesta quinta-feira, 13, que a saída do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, não irá prejudicar a capitalização da empresa prevista para o ano que vem, e que confia que após debates com o Congresso Nacional, o processo seja aprovado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements