Menu
2019-10-16T19:04:42-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Vai que vai

É hora delas? Bradesco BBI aposta alto nos números de Unidas e Movida

No setor de locação, todos os três papéis (Localiza, Unidas e Movida) estão com recomendações de compra pela casa, mas a Localiza não está na lista das preferidas do analista Victor Mizusaki

16 de outubro de 2019
17:08 - atualizado às 19:04
Bandeiras das empresas Movida, Localiza e Unidas em carros de fórmula um
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Assim como costuma fazer nas prévias de balanço das locadoras, o analista do Bradesco BBI Victor Mizusaki disse ontem (15) em relatório enviado a clientes que Movida, Localiza e Unidas devem manter o ritmo de crescimento do volume de locação de carros diário. Em suas contas, a expansão nesse segmento deve ser de 15%, 31% e 50%, respectivamente, na comparação entre o terceiro trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado.

Todos os três papéis estão com recomendações de compra pela casa, mas os papéis preferidos do analista são Movidas e (MOVI3) e Unidas (LCAM3).

Ainda assim, Mizusaki optou por aumentar apenas o preço-alvo das ações da Unidas (LCAM3) para R$ 62 em 12 meses. Antes, o valor estava em R$ 60. Em sua justificativa, ele citou que a companhia está "no caminho para bater o consenso".

Ele destacou que a Unidas deve continuar a apresentar forte crescimento no segmento de locação de carros no terceiro trimestre deste ano com receita de R$ 254 milhões, o que representa um aumento de 51%, ante 2018.

"Essa performance é reflexo de um alto crescimento de 45% na frota de aluguel de veículos, assim como um mix de opções que podem fazer com que a média diária dos preços dos aluguéis de carros cresça 0,5%, na comparação com o terceiro trimestre do ano passado", afirmou o especialista.

Já as projeções do analista para vendas de veículos da Unidas apontam que o número deve ficar em 16.500 carros no terceiro trimestre deste ano. A margem Ebitda, por sua vez, deve ficar em 1,7%. Tal medida mostra a eficiência da companhia na capacidade de potencial geração de caixa.

No fechamento desta quarta-feira (16), as ações da Unidas terminaram o dia negociadas a R$ 51,05, o que representa leve queda de 0,10%.

Movida

Em seu relatório, Mizusaki disse que a Movida vai mostrar forte melhora no segmento de seminovos, que é conhecido como o seu "calcanhar de Aquiles".

De acordo com as projeções do especialista, a margem Ebitda da locadora no segmento de seminovos ainda não deve ficar positiva no terceiro trimestre deste ano, mas deve melhorar. Segundo os seus cálculos, o indicador deve ficar em -1,9%, ante os -7,2% de 2018 e os -2,7% registrados no segundo trimestre deste ano.

Com isso, ele destaca que seria o quarto trimestre consecutivo em que a margem Ebitda mostra maior eficiência, o que é bastante positivo para a empresa.

"A companhia está no caminho para alcançar o equilíbrio (breakeven) da margem Ebitda já no último trimestre deste ano ou no primeiro trimestre de 2020, o que explica a decisão de reacelerar o crescimento no setor de locação de carros", pontuou Mizusaki.

O analista disse ainda que espera que a Movida venda 14.800 carros no terceiro trimestre deste ano, ante os 8.000 do mesmo período em 2018. E no quesito preço, a locadora deve ver uma média de aumento nos preços de venda de 5,9%.

Mesmo pontuando que a companhia está com o seu valuation atrativo, Mizusaki reiterou que manteve o preço-alvo dos papéis em R$ 20.

No fechamento de hoje (16), as ações ordinárias da Movida terminaram o dia negociadas a R$ 15,01, o que representa uma queda de 0,46%.

Localiza

Já ao falar da Localiza (RENT3), o analista disse que o segmento de locação de carros (RAC) e terceirização de frotas (GTF) devem ver um crescimento robusto de 31% e 20%, respectivamente, na comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Mas ele alertou que o aumento da competição no setor junto com a participação rápida do Uber no segmento de aluguel de carros para motoristas pode reduzir o preço médio de locação dos veículos em 1% na comparação com o mesmo período de 2018.

O segmento de terceirização de frotas, por sua vez, pode ser afetado com a diminuição do custo da dívida. Ele citou que isso deve continuar a empurrar os preços para baixo em 3%, ante o mesmo período do ano passado.

No fechamento de hoje (16), as ações da Localiza terminaram o dia negociadas a R$ 44,29, uma queda de 1,78%. Com isso, a empresa fechou o pregão entre as cinco maiores baixas do Ibovespa.

Já no segmento de seminovos, Mizusaki espera que as vendas de veículos cheguem a 37.772, com um aumento da depreciação dos carros.

Por fim, o especialista disse que atualizou o valuation da companhia e que diminuiu o preço-alvo dos papéis para R$ 48, ante os R$ 49.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Conselhos do bilionário

Warren Buffett está otimista com o mercado de ações — e continua em busca de uma grande aquisição

Warren Buffett, um dos homens mais ricos do mundo, divulgou sua carta anual aos acionistas da Berkshire Hathaway, seu conglomerado de investimentos

Impactos no Brasil

Coronavírus faz empresas exportadoras perderem R$ 48 bilhões em valor de mercado

Os temores de que o surto de coronavírus possam afetar a economia global trouxeram impactos às ações de exportadoras de commodities no Brasil

China em foco

BC da China considera mais medidas para aliviar o impacto do coronavírus na economia

A China considera medidas adicionais de flexibilização de políticas para ajudar a aliviar o impacto do novo coronavírus em sua economia, incluindo um ajuste das taxas de depósito de referência, disse Liu Guoqiang, vice-presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês). A China planeja liberar mais liquidez para o sistema financeiro, […]

Recuperação mitológica

Para o Credit Suisse, a Via Varejo é a fênix que renasce das cinzas

O Credit Suisse ainda vê espaço para que as ações ON da Via Varejo (VVAR3) continuem subindo, mesmo após a forte valorização dos últimos meses. Segundo o banco, a reformulação na estratégia e os ganhos de eficiência no e-commerce colocam a companhia à beira de uma virada

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Cuidado com a ‘perda fixa’

A matéria a respeito da queda da rentabilidade das aplicações mais conservadoras com o novo corte da Selic, jogando-as ao campo da ‘perda fixa’, foi o destaque desta semana no Seu Dinheiro

LIÇÕES DO PAI RICO

Existem quatro tipos de inteligência – e uma delas é a mais importante para ser Dono e Investidor

Uma lição de um curso de fim de semana mudou a minha vida e me ajudou a me preparar para ser dono e investidor – em vez de empregado ou autônomo.

O cliente voltou

EUA retomam importação de carne in natura do Brasil

Até o momento, os americanos vinham comprando apenas carne enlatada do Brasil

Mudou de vez

Grupo Pão de Açúcar conclui migração para o Novo Mercado da B3 e ações PN deixarão de ser negociadas

Empresa anunciou ainda o início da negociação de ADRs na Bolsa de Valores de Nova York

Enfim, a decisão

Azul fecha acordo para a compra da TwoFlex por R$ 123 milhões

Proposta já havia sido comunicada ao mercado em 14 de janeiro deste ano, mas só agora foi definida

Seu Dinheiro na sua noite

Mamãe eu quero, mamãe eu quero dólar…

Quem me acompanha há algum tempo aqui na newsletter já deve me conhecer o suficiente para não se chocar com a revelação que vou fazer a seguir: eu não sou um grande fã de Carnaval. Mas se você curte sair nos blocos que vão invadir as ruas da cidade e fazer outras estripulias nos próximos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements