Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-16T19:04:42-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Vai que vai

É hora delas? Bradesco BBI aposta alto nos números de Unidas e Movida

No setor de locação, todos os três papéis (Localiza, Unidas e Movida) estão com recomendações de compra pela casa, mas a Localiza não está na lista das preferidas do analista Victor Mizusaki

16 de outubro de 2019
17:08 - atualizado às 19:04
Bandeiras das empresas Movida, Localiza e Unidas em carros de fórmula um
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Assim como costuma fazer nas prévias de balanço das locadoras, o analista do Bradesco BBI Victor Mizusaki disse ontem (15) em relatório enviado a clientes que Movida, Localiza e Unidas devem manter o ritmo de crescimento do volume de locação de carros diário. Em suas contas, a expansão nesse segmento deve ser de 15%, 31% e 50%, respectivamente, na comparação entre o terceiro trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado.

Todos os três papéis estão com recomendações de compra pela casa, mas os papéis preferidos do analista são Movidas e (MOVI3) e Unidas (LCAM3).

Ainda assim, Mizusaki optou por aumentar apenas o preço-alvo das ações da Unidas (LCAM3) para R$ 62 em 12 meses. Antes, o valor estava em R$ 60. Em sua justificativa, ele citou que a companhia está "no caminho para bater o consenso".

Ele destacou que a Unidas deve continuar a apresentar forte crescimento no segmento de locação de carros no terceiro trimestre deste ano com receita de R$ 254 milhões, o que representa um aumento de 51%, ante 2018.

"Essa performance é reflexo de um alto crescimento de 45% na frota de aluguel de veículos, assim como um mix de opções que podem fazer com que a média diária dos preços dos aluguéis de carros cresça 0,5%, na comparação com o terceiro trimestre do ano passado", afirmou o especialista.

Já as projeções do analista para vendas de veículos da Unidas apontam que o número deve ficar em 16.500 carros no terceiro trimestre deste ano. A margem Ebitda, por sua vez, deve ficar em 1,7%. Tal medida mostra a eficiência da companhia na capacidade de potencial geração de caixa.

No fechamento desta quarta-feira (16), as ações da Unidas terminaram o dia negociadas a R$ 51,05, o que representa leve queda de 0,10%.

Movida

Em seu relatório, Mizusaki disse que a Movida vai mostrar forte melhora no segmento de seminovos, que é conhecido como o seu "calcanhar de Aquiles".

De acordo com as projeções do especialista, a margem Ebitda da locadora no segmento de seminovos ainda não deve ficar positiva no terceiro trimestre deste ano, mas deve melhorar. Segundo os seus cálculos, o indicador deve ficar em -1,9%, ante os -7,2% de 2018 e os -2,7% registrados no segundo trimestre deste ano.

Com isso, ele destaca que seria o quarto trimestre consecutivo em que a margem Ebitda mostra maior eficiência, o que é bastante positivo para a empresa.

"A companhia está no caminho para alcançar o equilíbrio (breakeven) da margem Ebitda já no último trimestre deste ano ou no primeiro trimestre de 2020, o que explica a decisão de reacelerar o crescimento no setor de locação de carros", pontuou Mizusaki.

O analista disse ainda que espera que a Movida venda 14.800 carros no terceiro trimestre deste ano, ante os 8.000 do mesmo período em 2018. E no quesito preço, a locadora deve ver uma média de aumento nos preços de venda de 5,9%.

Mesmo pontuando que a companhia está com o seu valuation atrativo, Mizusaki reiterou que manteve o preço-alvo dos papéis em R$ 20.

No fechamento de hoje (16), as ações ordinárias da Movida terminaram o dia negociadas a R$ 15,01, o que representa uma queda de 0,46%.

Localiza

Já ao falar da Localiza (RENT3), o analista disse que o segmento de locação de carros (RAC) e terceirização de frotas (GTF) devem ver um crescimento robusto de 31% e 20%, respectivamente, na comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Mas ele alertou que o aumento da competição no setor junto com a participação rápida do Uber no segmento de aluguel de carros para motoristas pode reduzir o preço médio de locação dos veículos em 1% na comparação com o mesmo período de 2018.

O segmento de terceirização de frotas, por sua vez, pode ser afetado com a diminuição do custo da dívida. Ele citou que isso deve continuar a empurrar os preços para baixo em 3%, ante o mesmo período do ano passado.

No fechamento de hoje (16), as ações da Localiza terminaram o dia negociadas a R$ 44,29, uma queda de 1,78%. Com isso, a empresa fechou o pregão entre as cinco maiores baixas do Ibovespa.

Já no segmento de seminovos, Mizusaki espera que as vendas de veículos cheguem a 37.772, com um aumento da depreciação dos carros.

Por fim, o especialista disse que atualizou o valuation da companhia e que diminuiu o preço-alvo dos papéis para R$ 48, ante os R$ 49.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies