Menu
2019-11-21T14:55:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na ponta do lápis

BNDES perdeu tempo na venda de fatia da JBS, diz presidente do conselho de administração do banco

Em evento no Rio de Janeiro, Carlos Thadeu de Freitas estimou o impacto financeiro dessa demora em R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões

21 de novembro de 2019
14:55
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) perdeu tempo e, consequentemente dinheiro, na venda de participação na JBS em sua carteira de renda variável, disse nesta quinta-feira (21) o presidente do conselho de administração do banco de fomento, Carlos Thadeu de Freitas.

A operação ocorrerá ainda este ano, diz acreditar Freitas. Na análise dele, as condições atuais para a venda das ações são boas, mas já foram melhores. "Já podia ter vendido pela mesa desde maio, junho. A ação estava lá em cima. Hoje o preço está bom, mas já foi melhor", afirmou após participação no Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), no Rio.

Thadeu estimou o impacto financeiro dessa demora em R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões. "Quem é o culpado? As administrações anteriores do banco, que perderam tempo", criticou.

O BNDES Participações (BNDESPar) comunicou essa semana ao frigorífico sua intenção de vender ações que detém da empresa da família Batista. Bradesco BBI, BTG Pactual, Bank of America Merrill Lynch (Bofa), Itaú BBA e UBS Brasil foram contratados para coordenador a operação, confirmando notícia da Coluna do Broadcast que antecipou a oferta.

Ao final do terceiro trimestre, o BNDES detinha 21,32% das ações da JBS, porcentual que não se altera desde 2017. O BNDES deve vender apenas metade de sua fatia nesse momento, em uma operação que deverá superar os R$ 8 bilhões.

Pela nova política de mercado de capitais do banco, operações acima de R$ 1 bilhão devem passar pelo crivo final do conselho que de acordo com Thadeu é favorável à venda da fatia na JBS.

O presidente do conselho do BNDES defendeu que o banco faça mais operações via mesa, por terem menos desconto e serem mais ágeis que ofertas, embora deva se valer de ambos os instrumentos.

Thadeu defendeu que a instituição se desfaça de parte da carteira devagar e "por preço convidativo". "O banco tem ações e tem que vender, mas lentamente", afirmou.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Ponto de luxo

Empresário do setor de educação transformará mansão de Edemar Cid Ferreira em escola

Projeto seguirá a linha da Ad Astra School, desenvolvido por Elon Musk

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements