Menu
2019-10-16T15:50:10-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Pesquisa

20% dos usuários do Twitter são investidores; será este o perfil do #fintwit?

Segundo pesquisa da empresa responsável pela rede social, este público é majoritariamente masculino e de renda alta

13 de outubro de 2019
6:00 - atualizado às 15:50
Aplicativo do Twitter
Imagem: shutterstock

Se você, assim como eu, não está no Twitter só pelos memes e tretas, talvez já tenha notado que as postagens sobre finanças e investimentos têm bombado na rede social do passarinho.

Está certo que elas também trazem alguns memes e tretas, mas mais do que isso: servem de comunicação direta entre clientes e instituições financeiras e espaço de discussão sobre o universo dos investimentos.

A comunidade formada por investidores, planejadores financeiros, gestores de fundos, economistas e outros profissionais do mercado financeiro no Twitter ganhou o apelido de #fintwit, um fenômeno que surgiu nos Estados Unidos e se alastrou para o Brasil.

Na última semana, o Twitter Brasil divulgou uma pesquisa sobre finanças que evidenciou o perfil mais qualificado dos seus usuários no que diz respeito ao consumo de produtos financeiros quando comparado à média da população brasileira.

A pesquisa mostrou que 20% dos usuários brasileiros do Twitter têm algum tipo de investimento - por exemplo, em ações, títulos ou fundos. A renda mensal média desse público é de R$ 7.940, 112% maior que a renda média dos brasileiros, segundo o Twitter Brasil.

Além disso, 86% dos usuários brasileiros do Twitter têm dinheiro guardado ou algum patrimônio; 74% têm conta em banco; e 65% utilizam cartão de crédito.

Analisando-se cada um desses três grupos separadamente, é possível perceber que a divisão de gêneros é quase meio a meio, cerca de um terço tem ensino superior, a renda média fica entre R$ 5 mil e R$ 6 mil e o perfil costuma ser mais jovem - 30% de 19 a 24 anos e 30% entre 25 e 34 anos.

Mas no grupo dos investidores, esse perfil é bem diferente. Ali saltam aos olhos não só a renda média bem mais elevada - quase R$ 8 mil, como mencionei acima - como também uma maioria significativa de homens - 64% dos usuários são do sexo masculino.

Esse é um fenômeno que nós, aqui no Seu Dinheiro, também notamos na nossa base de leitores. A predominância do público masculino quando o assunto é investimentos ainda é muito forte.

O perfil do tuiteiro investidor também tende a ser um pouco mais velho, com 34% entre 25 e 34 anos, enquanto a faixa entre 18 e 24 fica com 29%.

Finalmente, esses usuários têm em sua maioria, uma escolaridade mais alta, não só em relação à média da população como também em relação aos demais grupos analisados: 57% têm ensino superior.

Do ponto de vista qualitativo, eles também dizem, mais do que a média, que tomam riscos, são proativos em relação aos investimentos e que são muito voltados para a carreira.

E você, acompanha o #fintwit? Já se enquadra no perfil dos tuiteiros investidores? Deixe seu comentário abaixo! E me segue lá no Twitter: @juwiltgen

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Algo não agradou

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O sentimento na equipe de Guedes foi de perda da possibilidade de acionamento dos gatilhos em caso de calamidade por mais dois anos seguintes

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Suspeita de crime

CVM confirma processo para investigar suposto ‘insider trading’ na Petrobras

A suspeita de que alguém pode ter lucrado R$ 18 milhões com o vazamento de informações sobre o que ocorreria na estatal vieram à tona no início da semana e mexeram com os ânimos do mercado.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies