💸 Você pode receber R$ 120 para investir; veja como solicitar o depósito aqui

Cotações por TradingView
2019-05-23T09:42:21-03:00
Estadão Conteúdo
fim da lua de mel

Otimismo após eleições acaba e confiança do consumidor recua, afirma FGV

Quanto às perspectivas para os meses seguintes, o indicador que mede o otimismo relacionado à evolução da economia foi o que mais contribuiu para a queda da confiança no mês

23 de maio de 2019
9:31 - atualizado às 9:42
paulo-guedes
O ministro da Economia, Paulo Guedes. - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

A confiança do consumidor brasileiro caiu pela quarta vez consecutiva, voltando ao patamar de outubro de 2018, mês das eleições. O índice recuou 2,9 pontos em maio, para 86,6 pontos, uma perda de 10 pontos desde janeiro, informou nesta quinta-feira, 23, a Fundação Getulio Vargas (FGV) Ibre.

"Entre fevereiro e abril, a queda da confiança havia sido mais associada à frustração de expectativas com o ritmo de recuperação econômica e seus reflexos na evolução do emprego e da situação financeira familiar.

O resultado de maio mostra um aumento expressivo da insatisfação dos consumidores com a situação atual, principalmente entre famílias de menor poder aquisitivo. Uma alteração deste quadro parece estar condicionada à redução dos elevados níveis de incerteza política e econômica observados hoje no país", afirma, em nota, a coordenadora das Sondagens da FGV Ibre, Viviane Seda Bittencourt.

O Índice que mede a situação atual, ISA, caiu 3,7 pontos, para 73,4 pontos, enquanto o índice que mede as expectativas recuou 2,2 pontos, para 96,5 pontos, ambos atingindo o menor nível desde outubro do ano passado.

Com relação à situação presente, pelo terceiro mês consecutivo, o indicador que mede o grau de satisfação com a economia recuou, ao passar de 82,1 pontos para 79,1 pontos, o menor nível desde outubro de 2018 (77,9). Já o indicador de satisfação com as finanças familiares caiu 4,4 pontos, para 68,2 pontos, nível "extremamente baixo em termos históricos", observou a FGV Ibre.

Quanto às perspectivas para os meses seguintes, o indicador que mede o otimismo relacionado à evolução da economia foi o que mais contribuiu para a queda da confiança no mês, recuando 7,4 pontos, para 108,0 pontos. A perda de 22,9 pontos entre janeiro e maio significa uma devolução de três quartos da onda de otimismo observada após as eleições. O indicador que mede o grau de otimismo com a situação financeira futura caiu 5,9 pontos, para 90,9 pontos, o menor desde julho de 2018 (90,3 pontos).

A queda da confiança em maio ocorreu em todas as classes de renda, tendo sido mais forte nos extremos: a confiança das famílias com renda até R$ 2,1 mil mensais caiu 6,2 pontos no mês e 19,7 pontos nos últimos quatro meses. A piora neste grupo foi mais influenciada, em maio, por uma redução da satisfação em relação ao momento atual. Nas famílias com renda acima de R$ 9,6 mil mensais, houve redução de 6,9 pontos no mês, influenciada por uma piora das expectativas.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

SEU DINHEIRO NA COPA

Deu zebra: criptomoeda Chiliz (CHZ) era aposta durante Copa do Mundo, mas token caiu 35% durante a competição; entenda o que houve

7 de dezembro de 2022 - 11:31

Os fan tokens têm diversas finalidades e havia uma grande expectativa com a competição para que a Chiliz pudesse voltar a brilhar

ELEIÇÕES 2022

TSE toma decisão sobre contas da campanha de Lula e Alckmin nas eleições 2022

7 de dezembro de 2022 - 10:55

TSE analisou contas da campanha de Lula e Alckmin à Presidência, que arrecadou cerca de R$ 135 milhões e gastou aproximadamente R$ 131 milhões

LUGAR AO SOL

‘Taxação do sol’ vai ser adiada? Câmara aprova prorrogação de subsídios à microgeração de energia solar

7 de dezembro de 2022 - 10:42

Projeto de lei aprovado na Câmara adia por 6 meses o início da taxação do uso da rede de distribuição; legislação ainda precisa passar no Senado

EM BLOCO

Fundo de Pedro Moreira Salles se une a gestoras renomadas em acordo de acionistas na Eneva (ENEV3)

7 de dezembro de 2022 - 9:21

O novo bloco, formado por Cambuhy, Atmos, Dynamo e Velt, detém 35,7% do capital da Eneva e fica à frente do BTG Capital, maior acionista da empresa de energia

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Day trade na B3: Oportunidade de lucro acima de 7% com ações do Itaú Unibanco (ITUB4); veja a recomendação

7 de dezembro de 2022 - 8:29

Após o fechamento do último pregão, identifiquei uma oportunidade de compra dos papéis de Itaú Unibanco (ITUB4)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies