Menu
2019-10-14T14:22:52-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
indicador

Confiança do consumidor registra quinta queda consecutiva

Indicador recuou 0,4 ponto em relação ao mês anterior, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV)

24 de julho de 2019
10:56 - atualizado às 14:22
Consumo
Imagem: shutterstock

Em médias móveis trimestrais, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) registrou a quinta queda consecutiva no mês de julho. O indicador recuou 0,4 ponto em relação ao mês anterior, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Segundo a coordenadora das Sondagens do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, após subir no mês anterior, a confiança do consumidor ficou relativamente estável em julho. "Houve muita heterogeneidade nas respostas: entre consumidores de maior poder aquisitivo o otimismo aumentou; entre os demais, as expectativas continuaram sendo revisadas para baixo", disse.

"Aparentemente, para o consumidor de baixa renda, a preocupação com o mercado de trabalho e com a situação financeira familiar são ainda os fatores de maior peso a determinar os movimentos da confiança neste ano", avaliou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O Índice de Situação Atual (ISA) aumentou 1,9 ponto em julho, para 75,3 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) recuou 2,0 pontos, para 97,7 pontos, permanecendo abaixo do patamar de 100 pontos pelo quarto mês consecutivo.

O componente que mede o grau de satisfação com a economia no momento presente subiu 0,9 ponto. A avaliação sobre a situação financeira das famílias avançou 2,8 pontos, para 70,2 pontos, nível ainda muito baixo em termos históricos, ponderou a FGV.

O item que mede o otimismo com a situação financeira das famílias nos próximos meses caiu 4,1 pontos. A intenção de compra de bens de consumo duráveis encolheu pelo segundo mês consecutivo, acumulando uma queda de 8,0 pontos no período.

No mês de julho, houve melhora na confiança apenas entre os consumidores mais ricos, com renda familiar mensal superior a R$ 9.600. A alta do indicador nessa faixa de renda foi de 4,0 pontos, para 93,0 pontos, puxado por um maior otimismo com a situação econômica futura e maior ímpeto para compras de bens duráveis.

A Sondagem do Consumidor coletou informações de 1.850 domicílios em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1 e 20 de julho.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Parceiros

Brasil fecha acordo de cooperação técnica com a Alemanha na agricultura

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, assinou um acordo de cooperação com a Alemanha para o desenvolvimento do setor — a parceria durará, ao menos, três anos

APOSENTE-SE AOS 40 OU O QUANTO ANTES

3 Erros que vão ATRASAR sua aposentadoria

Aproveitando o clima de começo de ano, em que listas e regras para alcançar objetivos se proliferam mais rápido que o mosquito da dengue, decidi dar a minha contribuição numa lista diferente.

Enxugando

Bancos públicos devem acelerar vendas de ativos em 2020

Juntos, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES devem vender, só no primeiro semestre de 2020, mais de R$ 60 bilhões em ativos

Obras a todo vapor

A economia brasileira segue patinando, mas o setor de construção dá sinais de força

O segmento de construção continua aquecido, com a retomada nos lançamentos e um crescimento no volume de vendas. E as prévias operacionais da Helbor, Direcional e MRV dão suporte ao otimismo do mercado

Aval do presidente

Bolsonaro aprova fundo eleitoral de R$ 2 bilhões em orçamento para 2020

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a inclusão do fundo eleitoral no Orçamento do governo de 2020 — um mecanismo que prevê gastos de R$ 2 bilhões para as campanhas das eleições municipais

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: Bolha? Que bolha?

A matéria que discute uma suposta bolha nos fundos imobiliários foi a mais lida desta semana. Oi, aposentadoria e bolsa também estiveram entre os assuntos de destaque

Em busca de investidores

Guedes vai a Davos para ‘vender’ o Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, será a principal autoridade brasileira no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

LIÇÕES DO PAI RICO, PAI POBRE

Ganhando bem, mas longe de ser rico?

Robert Kiyosaki, autor do best seller Pai Rico, Pai Pobre, escreve aos sábados sobre suas lições de finanças

DE OLHO NOS EMPRÉSTIMOS

BNDES aprova empréstimos a exportações de Embraer, Marcopolo, Mercedes e Scania

A maior das operações foi para a fabricante de aviões Embraer, que tomou empréstimo de US$ 285 milhões para financiar a exportação de 11 aeronaves modelo E175 para a American Airlines, nos Estados Unidos

FUNDOS DE PENSÃO

Assessores de Guedes e mais 28 viram réus por rombo em fundos de pensão

“O Ministério Público Federal produziu e apresentou a este Juízo peça acusatória formalmente apta, acompanhada de vasto material probatório, contendo a descrição pormenorizada contra todos os denunciados”, anotou Vallisney.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements