Menu
2019-10-14T14:30:12-03:00
Olha o sinal aí

Vice do Fed diz que irá atuar apropriadamente para sustentar expansão da economia

Richard Clarida ressaltou que o BC norte-americano tem “as ferramentas necessárias” para apoiar o crescimento econômico no país

21 de junho de 2019
10:07 - atualizado às 14:30
Fed banco central americano
Sede do Federal Reserve (Fed) - Imagem: Federal Reserve

O vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Richard Clarida, afirmou nesta sexta-feira que a autoridade monetária dos Estados Unidos irá atuar "apropriadamente" para sustentar a expansão da economia e ressaltou que o Fed tem "as ferramentas necessárias" para apoiar o crescimento econômico no país.

O dirigente enfatizou que é possível observar alguma moderação na economia americana neste ano, mas apontou que a perspectiva é sólida e de "expansão sustentada" no país.

Em entrevista à Bloomberg TV, Clarida disse que o Fed monitora de perto os ventos contrários que a economia dos EUA está enfrentando e destacou que o argumento para um ambiente de maior acomodação monetária aumentou, o que já tinha sido apontado pelo presidente do Fed, Jerome Powell, na última quarta-feira. Clarida pontuou que o banco central tem flexibilidade de atuar para deixar as taxas de juros longe do zero na banda inferior dos Fed funds.

O vice-presidente do Fed apontou que a incerteza no comércio global tem pesado no sentimento e afirmou, ainda, que as tendências globais estão tendo impacto na economia dos EUA no momento em que "há muito incerteza sobre como a economia mundial irá navegar".

Ele disse, ainda, que o banco central está observando "diversos indicadores" para determinar os rumos da política monetária e comentou que há um cenário global de baixa inflação, embora tenha enfatizado que os EUA estão mais próximos da meta de inflação do que a zona do euro ou o Japão.

Questionado sobre a investida da Casa Branca contra o banco central, Clarida disse que o mandato dos dirigentes que integram o conselho de diretores do Fed é assegurado pelo Congresso e, por isso, o banco central tem "independência para atuar".

Além disso, Clarida comentou não acreditar que a independência do Fed esteja ameaçada pelas recentes críticas ao banco central feitas pelo presidente Donald Trump ou por outros integrantes do governo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

foco no nordeste

Desenvolvimento Regional autoriza R$ 30,7 milhões para saneamento em 17 Estados

Segundo a pasta, a maior fatia dos recursos foi destinada ao Nordeste (R$ 15,8 milhões), seguida pela região Norte (R$ 6,5 milhões)

caso das rachadinhas

Presidente do STJ decide colocar Queiroz em prisão domiciliar

O caso tramita sob segredo de Justiça. Preso desde 18 de junho, Queiroz é apontado como operador de um suposto esquema de “rachadinhas” – apropriação de salários de funcionários – no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro

O dia dos mercados

Com cautela em NY, bolsa fecha em queda de 0,6% após voltar aos 100 mil pontos; dólar recua

Em sessão de volatilidade, bolsa retorna ao patamar de 100 mil, mas não consegue manter fôlego com cautela em bolsas americanas. Dólar tem leve queda e se aproxima de R$ 5,30

ALÉM DE MORTOS E FERIDOS...

Os ‘falidos’ do coronavírus: veja as empresas que quebraram na pandemia

Companhias aéreas foram as primeiras a sentir o baque, seguidas por empresas que dependem também do turismo ou de viagens corporativas. Varejistas com fraca presença no e-commerce também sofreram com a ausência de clientes.

dados do ministério da Economia

Estatais apresentaram resultado líquido de R$ 109,1 bilhões em 2019, alta de 53%

De acordo com balanço apresentado nesta quinta-feira pelo Ministério da Economia, isso representa um aumento de 53% em relação ao lucro de 2018 e é o maior valor desde 2008

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements