Menu
2019-09-11T08:51:51-03:00
Estadão Conteúdo
soltou o verbo

Trump defende taxa de juros a ‘zero ou menos’ nos EUA

É a primeira vez que o presidente americano, ao menos recentemente, aponta o nível a que ele quer que a taxa chegue

11 de setembro de 2019
8:51
Donald Trump
Em uma sequência de duas publicações no Twitter, Trump argumentou que, como os EUA têm "a grande moeda, poder e balanço de ativos" e "nenhuma inflação", deviam pagar sempre a taxa mais baixa.Imagem: Shutterstock

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu nesta quarta-feira que o Federal Reserve (Fed, o banco central do país) corte a taxa básica de juros para "zero ou menos". "Devíamos então começar a refinanciar a nossa dívida. O custo com juros poderia ser trazido muito para baixo, enquanto ao mesmo tempo se prolonga o prazo (de vencimento da dívida)", acrescentou.

As críticas do mandatário à condução da política monetária americana e os seus chamados por cortes de juros são recorrentes, mas trata-se da primeira vez, ao menos recentemente, que ele aponta o nível a que ele quer que a taxa chegue. Em ao menos uma ocasião recente, Trump falou em uma tesourada de 100 pontos-base, "mas não de uma vez só". Hoje, o juro básico do Fed está na faixa entre 2,00% e 2,25%.

Em uma sequência de duas publicações no Twitter, Trump argumentou que, como os EUA têm "a grande moeda, poder e balanço de ativos" e "nenhuma inflação", deviam pagar sempre a taxa mais baixa.

"É só a ingenuidade (do presidente do Fed Jerome) Powell e do Federal Reserve que não nos permite fazer o que outros países já estão fazendo. Uma oportunidade única na vida que estamos perdendo por causa de 'cabeças de vento'", encerrou.

O Fed realiza a sua próxima reunião de política monetária em 17 e 18 de setembro, com o anúncio da decisão no segundo dia.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Seu Dinheiro na sua noite

O grande respiro do câmbio e mais…

“Ih, vai ser uma semana daquelas”, pensei eu na segunda-feira, ao olhar a agenda de eventos previstos para os dias seguintes. Teríamos decisão do Copom e relatório de empregos nos EUA — e isso sem contar os inúmeros balanços corporativos. Em semanas assim, eu gosto de traçar alguns cenários na minha cabeça: se o BC […]

Fechamento da semana

Real ganha do dólar na semana e bolsa sobe mais de 2% com economia americana nem tão aquecida e Copom incisivo

Os problemas domésticos foram para baixo do tapete e os fatores externos ajudaram o Real a se valorizar e a bolsa a romper resistências importantes. Confira um resumo da semana.

Mudou de ideia?

Elon Musk passa a recomendar cautela com o dogecoin às vésperas de sua participação no SNL

O bilionário, que já fez a moeda-meme disparar 60% com apenas um tweet, exibiu um alerta para as limitações do mercado de criptoativos

pandemia

Estudo aponta relação entre negacionismo de Bolsonaro e evolução da pandemia no Brasil

Segundo o levantamento, em cidades onde o presidente obteve mais de 50% dos votos no segundo turno das eleições de 2018, número de mortes foi 415% maior do que nos municípios onde ele perdeu o pleito

Insistência incomoda

Ex-presidente do BC Affonso Pastore acredita que ajuste parcial da Selic é insustentável

O economista defende o reconhecimento explícito de que a instituição perseguirá o ajuste integral da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies