Menu
2019-12-11T11:28:00-03:00
Estadão Conteúdo
De olho no futuro

Depois de ano desafiador, lucro das aéreas em 2020 deve crescer 13,1%, diz Iata

Com o menor preço do petróleo, a conta de combustível das aéreas em 2020 deverá ser de US$ 182 bilhões, 22,1% das despesas, contra US$ 188 bilhões em 2019, o que correspondeu a 23,7% das despesas no ano.

11 de dezembro de 2019
11:27 - atualizado às 11:28
Avião nos céus
Avião nos céus - Imagem: Shutterstock

Sustentada pela redução dos custos de combustível e aparada em uma melhora na economia global, a indústria aérea mundial deve apresentar um lucro de US$ 29,3 bilhões em 2020, crescimento de 13,1% ante o lucro de US$ 25,9 bilhões projetado para o encerramento de 2019. Mas os dados divulgados nesta quarta-feira, 11, pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês), mostram um cenário ainda desafiador para as aéreas, uma vez que se trata de um crescimento sobre um ano considerado fraco.

A tensão comercial entre os dois gigantes da economia global, China e Estados Unidos, contribuiu para a Iata a revisar suas estimativas para o lucro das aéreas em 2019, de US$ 28 bilhões para R$ 25,9 bilhões.

"Os resultados estão abaixo do pico de anos como 2015-2017", afirmou o economista chefe da Iata, Brian Pearce. Em sua apresentação, ele comentou que o comércio mundial deverá se recuperar em 2020. "A pressão do ano eleitoral nos Estados Unidos tem contribuído para reduzir as tensões comerciais", destacou.

Combustível

A Iata apontou que os custos com combustível em 2020 deverão recuar, sobretudo diante do cenário de oferta abundante de petróleo. "Projetamos que o barril brent terá preço médio de US$ 63 em 2020 (contra US$ 65 em 2019 e US$ 71,6 em 2018). O querosene de aviação também deve mostrar uma queda para uma média de US$ 75,6/barril contra US$ 77 em 2019", acrescentou Pearce.

Com o menor preço do petróleo, a conta de combustível das aéreas em 2020 deverá ser de US$ 182 bilhões, 22,1% das despesas, contra US$ 188 bilhões em 2019, o que correspondeu a 23,7% das despesas no ano.

Passageiros

A demanda por passageiros, medida em número de passageiros por quilômetro voado (RPK no jargão do setor), deve crescer 4,1% em 2020, na linha com o resultado de 2019, de alta de 4,2%. Na contramão, a capacidade medida em assentos disponíveis por quilômetro, ou ASKs, subiu 3,5% em 2019 e deve avançar 4,7% em 2020.

Em 2019, o transporte de cargas recuou para 61,2 milhões de toneladas, de 63,3 milhões de toneladas em 2018. A estimativa da associação é de que o transporte de carga deva crescer 2% em 2020, para 62,4 milhões de toneladas. Mesmo diante da melhora, o resultado ainda está abaixo do registrado em 2018.

*O jornalista viaja a convite da Associação Internacional de Transporte Aéreo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

de olho nas prévias

Carrefour Brasil tem alta 72,5% no e-commerce durante terceiro trimestre

No e-commerce alimentar a alta foi de 202,4%, incluindo o serviço de entrega rápidas. As vendas de não alimentares também continuaram crescendo, com alta de 69,1%

negócio fechado

Petrobras assina compromisso de compra da plataforma P-71 por US$ 353 milhões

Petrolífera fala que, por conta da nova alocação da P-71, a licitação de afretamento da plataforma que atenderia ao projeto de Itapu será cancelada

retomada

Financiamentos imobiliários somam recorde histórico de R$ 12,9 bilhões

Volume financiado é recorde, em termos nominais, na série histórica iniciada em julho de 1994, segundo a Abecip

cardápio de balanços

Cielo, Localiza, Smiles e Telefônica: os balanços que mexem com o mercado nesta quarta

Empresas estão entre as que mais recentemente divulgaram os números do terceiro trimestre, período com resultados ainda marcados pela pandemia

seu dinheiro na sua noite

A peleja da bolsa com a crise fiscal

Com tanto dinheiro girando no mundo, quem tem pede muito quem não tem pede mais. Os versos de Zé Ramalho não poderiam resumir melhor a encruzilhada na qual vive o mundo econômico em meio à crise do coronavírus. Quem tem pede muito. Nos Estados Unidos, a falta de um acordo para a aprovação de um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies