Menu
2019-04-04T14:19:00-03:00
Estadão Conteúdo
Banco de fomento

Subsídios do Tesouro ao BNDES somaram R$ 390,089 milhões no primeiro bimestre

Dados divulgados nesta sexta-feira mostram que quase todo o valor se refere aos subsídios implícitos nos empréstimos do Tesouro

29 de março de 2019
17:48 - atualizado às 14:19
BNDES
Imagem: Shutterstock

Os subsídios pagos pelo Tesouro Nacional ao BNDES somaram R$ 390,089 milhões no primeiro bimestre de 2019, de acordo com boletim divulgado nesta sexta-feira, 29, pelo órgão. Quase a totalidade se refere aos subsídios implícitos (creditícios) nos empréstimos do Tesouro ao banco de fomento. Essa conta somou R$ 388,049 milhões de janeiro a fevereiro. O valor é bem menor que os R$ 1,231 bilhão apurados no primeiro bimestre de 2018.

Essa redução decorre principalmente da liquidação antecipada de empréstimos do BNDES com a União, por meio da devolução de R$ 130 bilhões ao Tesouro no ano passado. Também houve uma alteração na remuneração de contratos do banco de fomento, passando apenas da antiga Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para uma composição entre Selic, TJLP e a nova Taxa de Longo Prazo (TLP).

Já os subsídios explícitos (financeiros) que correspondem à equalização de juros do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) somaram R$ 2,039 milhões no primeiro bimestre. O valor também é inferior aos R$ 3,084 milhões registrados no mesmo período do ano passado. Nesse caso, a tendência de redução ocorre porque desde 2015 não são contratadas novas operações do PSI.

O Tesouro forneceu ainda a estimativa em valor presente do custo dos subsídios já contratados. A projeção para os subsídios creditícios é de R$ 32,172 bilhões até 2040, mas esse valor deve cair a partir de novas devoluções antecipadas de recursos pelo BNDES ao Tesouro negociadas para este ano. Já a projeção para os subsídios financeiros do PSI é de R$ 7,161 bilhões até 2041.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Não tem para ninguém

CEO mais bem pago de 2020, Elon Musk recebeu US$ 11 bilhões mesmo sem salário fixo na Tesla

O executivo cumpriu metade das metas de seu pacote de remuneração e garantiu uma fatia bilionária de ações da montadora de carros elétricos

Fim de uma era?

Grupo Globo anuncia o fim da revista Época; publicação passará a circular como encarte de jornal

O site da publicação também será integrado ao do jornal em uma decisão que busca enfrentar a transição do conteúdo físico para o online

Explica direito isso aí...

Procon-SP cobra explicações de Gol, Azul, Latam e mais 7 aéreas sobre cancelamentos, remarcações e reembolsos na pandemia

As empresas têm até o dia 10 de maio para responderem questionamentos sobre sua política de comercialização de passagens no período

Melhorias no ar

Azul divulga projeções e aposta em recuperação total no início de 2022

A companhia aérea foi a única das Américas a aumentar seu caixa em 2020 e aposta em um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões no próximo ano

Podcast Tela Azul

CASH3: Conheça a Méliuz, sua estratégia de cashback e saiba por que esta ação tech está bombando

Em entrevista para o Podcast Tela Azul da Empiricus, Lucas Marques, COO da Méliuz, conta sobre a onda da estratégia de cashback e como ela funciona. É falado também do atual foco da companhia em Growth, e dos planos futuros. Entenda o que é o “jabutiCAC”, jargão que surgiu nesta edição.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies