Menu
2018-12-24T12:03:03-02:00
Estadão Conteúdo
PROJETO ESTÁ INACABADO

Energia da usina Angra 3 é mais cara até do que geração solar, diz estudo

A conclusão de Angra 3 foi anunciada como prioridade pelo futuro ministro de Minas e Energia, almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior.

24 de dezembro de 2018
12:03

O custo da energia da usina nuclear de Angra 3 é o mais alto entre todas as fontes disponíveis no País, segundo estudo do Instituto Escolhas em parceria com a PSR, consultoria especializada em energia. Considerando critérios objetivos como valor da obra, custo fixo de operação, subsídios e prêmio ambiental, a energia a ser produzida por Angra 3 é mais cara que a de termoelétricas a gás e de empreendimentos de energia renovável. Caso o governo optasse por desistir de concluir Angra 3, e até desmontasse o que já foi feito, e substituísse a usina por parques solares no Sudeste ainda assim a economia seria de R$ 12,5 bilhões em um período de 35 anos.

A conclusão de Angra 3 foi anunciada como prioridade pelo futuro ministro de Minas e Energia, almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior. A comparação de Angra 3 com usinas solares no Sudeste foi realizada pelo pressuposto de que ambos os empreendimentos gerariam energia na base do sistema elétrico, não emitiriam gases de efeito estufa e estariam próximas de grandes centros de consumo na mesma região. O estudo considerou ainda o fato de que a energia solar recebe subsídios, não pode ser produzida à noite e demanda substituição por outras fontes.

Nesse cenário, o preço da energia solar para o consumidor seria de R$ 328 por megawatt-hora (MWh), maior que o preço obtido em leilões realizados pelo governo, de R$ 150 por MWh, mas, ainda assim, inferior ao de Angra 3. Segundo o estudo, o custo real da energia da usina nuclear é de R$ 528 (Mwh).

O valor é maior do que a tarifa estabelecida pelo governo há dois meses, de R$ 480 por MWh, que estaria em linha com os valores praticados por usinas nucleares no exterior e uma pré-condição para a retomada das obras, paralisadas em 2015 por denúncias de corrupção.

"A energia nuclear é a mais cara", disse o fundador e diretor executivo do Instituto Escolhas, Sergio Leitão. Segundo Leitão, a economia com o fim de Angra 3 seria de R$ 12,5 bilhões mesmo levando em conta pagamento de rescisões contratuais, multas, compensações socioambientais e liquidação antecipada do financiamento.

"Sob o ponto de vista de geração de energia, (Angra 3) não se justifica", disse Leitão. "Se a reativação dessa usina tem a ver com a manutenção do programa nuclear brasileiro e das estatais ligadas à área militar, isso deve ser explicitado de outra forma, como política de governo."

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobrás, informou que o preço da energia da usina teve como base estudos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Segundo a empresa, o valor restabelece a viabilidade da obra e é compatível com projetos no exterior. A Eletronuclear destacou que as fontes renováveis são intermitentes e levam ao acionamento de termoelétricas. E informou que o estudo desconsidera ganhos de processo de mineração, beneficiamento e enriquecimento do urânio.

Projeto do período militar, Angra 3 começou a ser construída em 1984, mas as obras foram paralisadas em 1986. O projeto foi retomado por Lula em 2009. O custo estimado para o término do projeto era de R$ 8,3 bilhões, para conclusão em 2014.

Investigações da Polícia Federal revelaram desvios na obra e resultaram na prisão de executivos da Eletronuclear. A conclusão da obra deve demandar R$ 15,5 bilhões, totalizando R$ 23,5 bilhões. A usina terá potência de 1.405 MW. A hidrelétrica de Teles Pires tem 1.820 MW e custou R$ 3,9 bilhões.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

O melhor do Seu Dinheiro

A Pedra Filosofal do mercado financeiro e mais destaques da noite

O minério de ferro converteu-se na pedra filosofal dos mercados: tudo o que toca, vira ouro — como as ações da Vale e das siderúrgicas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mercado Financeiro e a Pedra Filosofal

De certa maneira, o mercado financeiro está cheio de alquimistas: tentam transformar dinheiro em mais dinheiro. Ações, câmbio, títulos de renda fixa, fundos imobiliários — no fim, o objetivo dos investidores é multiplicar o patrimônio. O problema é que não há fórmula mágica. Nem sempre as poções funcionam; na verdade, é relativamente comum que o […]

FECHAMENTO

Commodities dão força extra e bolsa fecha o dia em alta firme enquanto NY fica no vermelho

Com o exterior negativo, restou ao setor de commodities e energia salvar o Ibovespa da cautela. O dólar à vista aproveitou e teve um dia de leve queda

Oferta de ações

Softbank deve participar do IPO da Dotz, dizem fontes

Mesmo com a participação do fundo japonês e da presença de dois investidores-âncora, a demanda pelas ações da Dotz no IPO ainda está apertada, segundo fontes

Alta nos preços chama atenção

Governo Biden ‘leva possibilidade de inflação muito a sério’, diz Casa Branca

A porta-voz do governo reforçou, no entanto, que a maioria dos analistas econômicos avalia que haverá um avanço temporário dos preços no país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies