Menu
2018-11-22T13:51:42-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Mercados

Presidente do BTG Pactual vê investidor cautelosamente otimista com Brasil

Roberto Sallouti diz que haveria espaço para uma valorização dos ativos brasileiros se medidas como a independência do Banco Central ou a reforma tributária fossem aprovados ainda neste ano

22 de novembro de 2018
13:49 - atualizado às 13:51
Roberto Saloutti, presidente do BTG Pactual
Imagem: Raul Junior/BTG

Você já deve ter ouvido a expressão "otimismo cauteloso". Foi assim que boa parte dos investidores e empresários classificou a expectativa para a economia brasileira nos últimos anos. Algo que reflete uma direção correta, mas ainda com uma longa trajetória pela frente.

É da mesma forma que o presidente do BTG Pactual, Roberto Sallouti, avalia o sentimento dos investidores, em particular os estrangeiros, em relação ao país no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Para ele, um sinal desse otimismo com cautela foi o fato de o Brasil ter sofrido menos que os demais mercados com a forte queda recente das bolsas internacionais.

"Um indicador que a gente acompanha muito é a curva longa de juros, que é um bom indicador de confiança e se comportou bem", disse Sallouti aos jornalistas que cobrem o evento que o banco promove hoje em São Paulo sobre perspectivas e cenário macroeconômico.

Ele credita parte desse bom desempenho relativo ao anúncio da equipe econômica do governo Bolsonaro, em particular a escolha de Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central.

Apesar dos bons sinais e a da intenção já manifestada da equipe do governo eleito de atacar os problemas da economia, a implementação das medidas ainda é fonte de dúvida no mercado. Ele ainda vê um movimento "tímido" de investimentos estrangeiros no país, mas ainda em estágio inicial.

"Ninguém tem dúvida de que o diagnóstico está traçado. E cada etapa vencida deve trazer mais confiança", disse.

Sallouti diz que haveria espaço para uma valorização dos ativos brasileiros se medidas como a independência do Banco Central ou a reforma tributária fossem aprovados ainda neste ano.

IPOs em 2019

Sallouti espera uma retomada com mais vigor das ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) em 2019.

"As empresas têm projetos engavetados e vão querer capital para fazer investimentos", afirmou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEXTOU COM O RUY

O que uma pesquisa no Google diz sobre as ações com maior potencial na reabertura da economia

De maneira geral, as pessoas estão com vontade de sair de casa, até mesmo para fazer coisas que nem gostavam tanto assim — como ir ao teatro, no meu caso

balanço do dia

Covid-19: Brasil tem 430.417 mortes e 74.592 novos casos da doença

O Brasil bateu a marca das 430 mil vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus. Nas últimas 24 horas foram registradas 2.383 novas mortes. Com isso, o total de vítimas que não resistiram à covid-19 chegou a 430.417. Ainda há 3.671 óbitos em investigação. Isso ocorre porque há casos em que um paciente morre, […]

Digital em alta

Vendas do Magazine Luiza saltam 62% no trimestre; e-commerce é 70% do total

O Magazine Luiza mostrou crescimento nas linhas de receita, Ebitda e lucro; a participação do e-commerce nas vendas totais segue aumentando

1º TRI

Petrobras reverte prejuízo do 1º trimestre anterior e lucra R$ 1,6 bilhão; Ebitda sobe mais de 30%

O resultado foi beneficiado pela alta do barril de petróleo no mercado internacional, mas sentiu o peso da valorização do dólar.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

A inflação americana na Broadway e outros destaques

O dilema dos Bancos Centrais renderia um musical na Broadway. Um enredo cheio de intrigas e drama; personagens em conflito, cientes de que suas decisões impactam o mundo todo. Subir ou não subir os juros, eis a questão. A inflação americana, afinal, começa a aumentar num ritmo preocupante — e muito por causa da postura […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies